TAAG: Funcionários denunciam cunhado de Ricardo de Abreu que terá desviado mais de 1 milhão de dólares da empresa

O Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, nos termos da Constituição e da Lei de Bases do Sector Empresarial Público, decretou esta quarta-feira, 20, a exoneração do Conselho de Administração da TAAG – EP , nomeado através do Decreto Presidencial nº 276/18, de 26 de Novembro.

DR

Na Mira do Crime

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, nos termos da Constituição e da Lei de Bases do Sector Empresarial Público, decretou esta quarta-feira, 20, a exoneração do Conselho de Administração da TAAG – EP , nomeado através do Decreto Presidencial nº 276/18, de 26 de Novembro.

 

De acordo com a Casa Civil do Presidente da República, considerando que o Decreto Presidencial nº 186/20, de 17 de Julho, adequou-se o valor nominal do capital social da TAAG – Linhas Aéreas de Angola, SA., bem como redefiniu a estrutura accionista da empresa, deixando de ser detida totalmente pelo Estado.

 

Com base nisso, acrescenta o comunicado, houve a necessidade de se concretizar o Plano de Reestruturação da TAAG, SA, visando incentivar a política empresarial com o propósito de se efectivar os seus objectivos estratégicos. Assim, cessaram funções todo corpo directivo da empresa de aviação.

 

Denúncia

 

No entanto, escreve o renomado jornalista Ramiro Aleixo na sua página do Facebook, em carta elaborada pelos trabalhadores da TAAG dirigida ao Presidente da República, na sequência das nomeações dos membros do novo Conselho de Administração, denunciam que o novo presidente da Comissão Executiva, Eduardo Fairen Soria, é marido de uma prima do ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, e consta dos registos da empresa que já retirou dos seus cofres, “sem trabalho nenhum, mais de 1 milhão e meio de dólares com falsos trabalhos de consultoria que nunca fez através da empresa Blackbird”.

PUB