SIC já tem ajuda do INFARMED de Portugal para o combate de contrafacção de Medicamentos

o Director Geral do Serviço de Investigação Criminal, Comissário-Chefe – Arnaldo Manuel Carlos, participou na “Segunda Reunião da Comissão Mista Intergovernamental Angola-Portugal”, que teve lugar na cidade de Lisboa onde assinatou o “Protocolo de Colaboração” entre o SIC-Angola e a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P da República Portuguesa (INFARMED). O país tem registado nos últimos anos um colapso de fármacos nos hospitais públicos que são desviados para farmácias privadas.

DR

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Angola enfrenta nos últimos anos uma contrafacção de Medicamentos nos hospitais públicos, com desvio dos mesmos por entidades ligadas ao sector da Saúde, a inquietação de descobrir os infractores levou para Portugal principal país de importação dos Garcia do país, o Director geral dos SIC para assinatura de memorando de cooperação para prevenção e combate aos crimes desta natureza.

“Em representação do Executivo Angolano e superiormente mandatado e na posse dos Plenos Poderes, conferidos pelas autoridades angolanas competentes, o Director Geral do Serviço de Investigação Criminal, Comissário-Chefe – Arnaldo Manuel Carlos, participou na “Segunda Reunião da Comissão Mista Intergovernamental Angola-Portugal”, que teve lugar na cidade de Lisboa esta quinta-feira 30 , onde teve o ensejo de proceder à assinatura do “Protocolo de Colaboração” entre o Serviço de Investigação Criminal da República de Angola (SIC) e a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P da República Portuguesa (INFARMED)”, segundo a nota de imprensa que o Repórter Angola teve hoje acesso.

Continua a Nota informando que “Da parte de Portugal assinou o Protocolo o Presidente do Conselho Directivo do INFARMED, Dr. Rui Santos Ivo, tendo em atenção que o protocolo visa a colaboração institucional nos domínios da comprovação da qualidade dos medicamentos, da troca de informação na área da comprovação da qualidade, formação na área de inspecção farmacêutica e análise laboratorial, visando a prevenção e o combate aos crimes de contrafacção de medicamentos, comercialização de medicamentos contrafeitos, expirados, ou inutilizados, bem como de outros crimes que atentem contra a saúde pública”, referiu.

O evento serviu, essencialmente, para as delegações de Angola, chefiada pelo Ministro das Relações Exteriores Dr. Téte António e de Portugal, chefiada pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros Dr. Augusto Santos Silva, passarem em revista o estado de implementação da cooperação bilateral entre os dois estados, em diferentes domínios, tais como saúde, educação, relações diplomáticas e consulares, defesa e segurança, justiça, comércio e indústria e finanças.

PUB