Rádio da UNITA não paga Salários há três meses, Funcionários da Despertar exigem na Presidência Explicações

Uma Dezena de Funcionários da Rádio despertar pertencente ao maior partido na oposição, UNITA, dirigiu-se, esta quinta-feira 29, das instalações da Rádio até a presidência do partido, de Adalberto Costa Junior, para pedir satisfações sobre o atraso salarial dos três meses. presenciou o Repórter Angola na Estação Emissora. A Radio ligada a UNITA enfrenta dificuldades financeiras através de uma desorganização interna, denunciam os Jornalistas.

Gabriel

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Desde a chegada a Presidência do Adalberto da Costa Júnior, os funcionário da Radio Despertar e da TV Raiar que também deixou de emitir, reclamam constantemente atrasos salariais.

” isso que vivemos na Radio e na Raiar é desorganização, tudo indica que UNITA não pode governar um País” contou um Jornalista da RD ao Portal Repórter Angola, esta manhã de fronte a Radio Despertar.

o profissional prossegue ainda, que se poderia evitar o atraso salarial ” se recebem de três em três meses, os deputados têm salários a cada mês, e aqui na Radio ganhamos a cada Repórter e correspondentes nas Províncias 40 mil Kz e até 90 mil Kz os locutores, se cada Deputado tirasse dos um milhão que ganham 120 mil Kz acho que serviria para pagar 3 Jornalistas, ou seja se ao receberem dinheiro trimestral reservassem um montante para os cofres da Radio, também não seria mal” concluiu, o também sindicalista.

De acordo com João  Valter , presidente da comissão  sindical, a tentativa de diálogo  com a direcção  da estação  de rádio foi infrutífera pelo que, a solução  passa por conversar com o patrão.

De acordo com o responsável  sindical a concentração  dos jornalistas e demais funcionários aconteceu  nesta manha, as 10 horas para em conjunto rumarem a presidência  do partido Unita, afim de ouvirem do Presidente do maior partido da oposição,  Adalberto Costa  Júnior,  as razões  dos atrasos salariais e quando a resolução.

De acordo com o sindicalista, ao Presidente  da Unita serão  ainda apresentado questões  como falta de condições de biossegurança e transporte.

“Estamos  em fase de pandemia e não  existe nenhuma condição  de biossegurança na empresa,  não  há  transporte  para as equipas de trabalhos, os repórteres  deslocam-se de táxi isso é  inconcebível ” disse o também  jornalista.

João  Valter referiu ainda que outra questão  que preocupa a classe, são  os baixos salários ” muitos repórteres  auferem um salário  de 40 mil kwanzas, isto é  insustentável,  há  que se melhorar  os ordenados para garantir  o mínimo  de dignidade aos profissionais ” frisou.

outra funcionaria, que também se dirige a Presidência de Adalberto Costa Júnior disse que já não aguenta ” estou agastada, tenho filhos para criar, o Presidente do Partido tem salários todos meses e deles não atrasa, só nós? vamos mesmo lá saber o porquê?”

“nós já somos mal vistos, associados a UNITA, agora salario que é bom não pagam? ” questiona a mesma que pediu anonimato

Entretanto o Repórter Angola sabe que nem todos funcionários da radio dirigiram-se a Maianga para falarem com Adalberto Costa Júnior, Presidente do maior partido na Oposição a UNITA, que suporta a Radio Comercial Despertar,  trata-se de alguns membros da comissão sindical e outros funcionários administrativos.

Gonçalves Viera, por exemplo,  contactado por este portal, negou avançar qualquer detalhes sobre a sua não ida ao Palácio de Costa Júnior, ” Eu não fui, apenas alguns colegas, sem adiantar mais nada”.

Nos próximos dias, o Repórter Angola vai publicar sobre o valor real que cada partido politico recebe, UNITA ultrapassa mensalmente 1 800 860 000 , montante entregue ao partido a trimestralmente ronda os 5 bilhões 402 milhões 580 mil Kzs.

Em actualizações sobre o montante real nos próximos capítulos deste jornal, visto que a cada partido com assento parlamentar também recebe uma verba extra, para o funcionamento dos seus grupos parlamentares.

PUB