Portal Sapo Angola fechou as portas, internautas acreditam na mão invisível do Governo de JLO

"Este Governo é muito alérgico em liberdades de imprensa e de expressão, Sapo Angola já era" reagem internautas que acreditam em mão invisível do Governo angolano. O Sapo Angola, sucursal da empresa portuguesa Altice, maior e único agregador de conteúdos, produtos e serviços, no país, decidiu cessar todas as actividades no mercado angolano no mês de Setembro. Segundo fonte próxima da empresa, os gestores portugueses justificam que “não querem mais continuar a operar no mercado africano, particularmente angolano.” Nas redes sociais é visível a insatisfação de leitores do Porta Sapo Noticias, que acusam Governo de João Lourenço de perseguir toda imprensa, visto que já não aborda questões sobre Angola.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O Sapo Angola, sucursal da empresa portuguesa Altice, maior e único agregador de conteúdos, produtos e serviços, no país, decidiu cessar todas as actividades no mercado angolano no próximo mês de Setembro. Segundo fonte próxima da empresa, os gestores portugueses justificam que “não querem mais continuar a operar no mercado africano, particularmente angolano.”

Internautas apontam mão invisível do Governo de João Lourenço , naquilo que consideram perseguição sem tréguas contra a liberdade de imprensa em Angola.

António de Ouro6, descreve o tal facto como perca de esperança dos camaradas, ” Desta vez o MPLA, está totalmente  ameaçado nas próximas Eleições, 2022, está ver lulas e gambas em todos cantos, não está satisfeito com a liberdade de imprensa, com os meios de comunicação já confiscados, agora compram os portais de noticias!..” escreveu.

No entanto,  mais de 15 funcionários que estão agora no desemprego , a empresa é das que mais facturava em publicidade, sobretudo nesta fase de pandemia.
A fonte acredita mesmo existirem outros factores na base do encerramento, porquanto a empresa nunca teve problemas financeiros, dificuldades no pagamento de salários e cumprimento de outras obrigações.

“era impossível e impensável que assim do nada a SAPO Angola fecha as portas, porque tinham muitas publicidades e pagavam sem problemas os seus funcionários” escreveu um outro internauta.

Contactada pelo VALOR, Irony Freitas, directora do Sapo Angola, confirma o encerramento da filial da empresa portuguesa, não avançando, entretanto, os motivos por, como explicou, se tratar de questões internas.

Entretanto, o valor de indemnização dos 15 funcionários já foi acordado durante uma reunião com a direcção da empresa.

“comprar o sapo angola, JLO não está de brincadeira “acrescentou Miguel Anonimo numa das suas paginas das redes socias.

O Sapo Angola foi lançado a 29 de Julho de 2008, conta com mais de um milhão de visitas diárias e variadíssimos fornecedores de conteúdos.

O Repórter Angola, sabe que o portal Sapo Angola encerrou as portas a 26 de setembro , sem no entanto ter dado um aviso prévio aos seus leitores.

PUB