Polícia impede sacrifício a Deus e prende casal que pretendia doar o filho para agradar ao Senhor

A Polícia Nacional deteve em flagrante um casal no município de Talatona, em Luanda, por tentativa de homicídio do filho, um bebé com menos de três anos, num poste de energia eléctrica, num ritual religioso que pretendia sacrifício da criança para agradar a Deus.

DR

RNA/ NJ

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Trata-se de Rosalina Miguel Ngombo, de 26 anos, e Moisés Ginga Cassua Ngunda, de 32, detidos em flagrante na manhã desta terça-feira, 23, quando colocavam o pequeno Filipe Rosalino, menor de três anos, no posto de transformação de energia eléctrica (PT), para morrer “em nome de sacríficos religiosos”.

Segundo  o director do gabinete de comunicação institucional e imprensa do Comando Provincial de Luanda da PN, superintendente Nestor Goubel, que falava a imprensa, explicou que o casal foi apanhado pela patrulha do Comando Municipal de Talatona no momento em que regressava à unidade para renda de turno.

“O Comando Provincial de Luanda da Policia Nacional tomou conhecimento deste crime nesta terça-feira, por volta das 9:00, na Rua do SIAC, em Talatona, quando um casal foi encontrado pelos nossos operacionais do Comando Municipal de Talatona, que regressavam à esquadra para participarem na reunião de rendição de turno”, disse.

 

O oficial adiantou que o casal em causa se preparava para colocar o bebé no posto de energia elétrica, dizendo em voz alta que tudo era em nome de sacrifícios religiosos.

 

“Rapidamente os efectivos resgataram a criança de três anos que agora está sob custódia da polícia e foi entregue aos cuidados da área dos serviços sociais do Comando de Talatona e procedeu-se à detenção do casal”, descreveu.

 

De acordo com o responsável pela comunicação da corporação em Luanda, o casal será, nas próximas horas, presente ao magistrado do Ministério Público (MP) junto do Serviço de Investigação Criminal (SIC) Talatona, para primeiro interrogatório judicial e eventuais medidas de coacção.

“O Comando Provincial aproveita para apelar mais uma vez à sociedade no geral e sobretudo às comunidades e familiares para que se mantenham atentos e vigilantes para que fanáticos como estes não sacrifiquem criança inocentes”, apelou.

PUB