Polícia desmente recrutamento para ingresso na corporação

Um anuncio feito pelo Comandante Geral Paulo de Almeida, a partir da Província do Bié, sobre recrutamento de mais de seis mil efeitivos, para a corporação do ministério do interior, gerou entusiasmo e muitos jovens, precipitaram-se nesta primeira semana de Janeiro, encher as escolas de formações para inscrições. Esta sexta-feira, a Policía Nacional emitiu um comunicado desmentindo tal ingresso.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

“O Comando Geral da Polícia Nacional considera falsas e sem fundamentos, as informações postas a circular nas redes sociais, segundo as quais, está em curso um processo de recrutamento para ingresso na corporação” começa o comunicado.

O Documento com a data de 08 de Janeiro, que o Repórter Angola teve hoje acesso adianta que ” a Polícia Nacional alerta que tais informações não vinculam a instituição”, esclarecendo que “o ingresso ocorre por via de um concurso público, nos termos de legislação específica vigente, antecedido de uma comunicação pelos órgãos estatais e privados de comunicação social”.

Outrossim, acrescenta o comunicado que “para ingresso, têm sido privilegiados os cidadãos na condição de ex-militares das Forças Armadas Angolanas (FAA), licenciados à disponibilidade, estando presentemente suspenso, por força das medidas de prevenção e controlo da propagação da Covid-19” esclarece.

Para terminar, “o Comando Geral da Polícia Nacional apela a todos cidadãos para não partilharem tais informações, e denunciarem quaisquer práticas que indiciem burlas, decorrentes de garantias de ingresso na corporação, para consequente responsabilização dos infractores” avisou.

PUB