Morte de um jovem de 28 anos na Via Expressa gera revolta e vandalismo contra esquadra do Engivias

Um jovem de 28 anos foi ontem atingido em Luanda por um disparo da polícia, gerando revolta entre populares, que tentaram invadir uma esquadra, vandalizaram viaturas e colocaram pneus a arder na estrada, indicou fonte policial.

DR

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Vários vídeos postos a circular nas redes sociais revelam o caos que se viveu durante algumas horas na Via Expressa, um dos principais acessos a Luanda, com barricadas de pneus a arder e um autocarro vandalizado, depois da intervenção policial que resultou na morte do jovem.

 

Segundo o porta-voz da Comando Provincial de Luanda, Nestor Goubel tudo começou por volta das 17:00 com um desentendimento entre dois moto-taxistas após uma colisão, junto à paragem da Mutamba, tendo sido solicitada a intervenção policial para dirimir o conflito.

“Os nossos efetivos estão diariamente ali a combater a venda ambulante na zona da Mutamba e foram ter com os cidadãos para que chegassem a um entendimento e evitassem partir para a agressão, um dos elementos não aceitou e, na presença da polícia, deu uma bofetada no outro o que gerou alguma confusão”, explicou.

 

Para dispersar as pessoas, a polícia efetuou disparos para o ar um dos quais, segundo Nestor Goubel terá feito ricochete num pedaço de betão e atingido mortalmente um dos moto-taxistas, de 28 anos de idade.

 

Os ânimos exaltaram-se e um grupo de jovens dirigiu-se à esquadra, tentando incendiar o edifício com um bidon de combustível, vandalizando viaturas entre as quais um autocarro dos transportes públicos, cujos vidros foram partidos e fazendo barricadas com pneus a arder na via.

Destes atos resultou também a detenção de um homem de 32 anos, encontrado na posse do bidon de combustível usado na tentativa de vandalização da esquadra, indicou o responsável da polícia, salientando que estes dados são ainda preliminares.

O reforço policial permitiu controlar a situação e dispersar as pessoas que tentavam vandalizar a esquadra, estando o trânsito já normalizado, adiantou ainda.