Miss Huíla 2018 detida e acusada de mandar matar namorado e associação criminosa

O serviço de investigação Criminal na Huíla, deteve a jovem Miss 2018, da província com mesmo nome, de 23 anos acusada supostamente de ter orientada o assassinato do namorado e participação em associações criminosas, bem como roubo qualificado.

DR

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A miss Huíla 2018, Beatriz Alves de 23 anos, foi detida quarta-feira, no Lubango, pela Polícia Nacional, indiciada nos crimes de associação criminosa e roubo qualificado.

A acusada, de 23 anos de idade, supostamente tratava das diligências de assalto com o grupo de marginais desmantelado pela polícia no dia 11 deste mês.

 

O grupo de supostos marginais, considerado “altamente perigoso”, dedicava-se a prática de roubos em lojas, cantinas, farmácias, viaturas e a pessoas, na comuna da Arimba, município do Lubango.

 

A rede era liderada por um indivíduo conhecido por Tony, com antecedentes criminais, foragido da província de Luanda, há três meses.

 

A quadrilha integrava ainda um pastor da igreja Pentecostal do Reino de Deus e um mecânico, todos detidos em 11 de Dezembro.

 

Após confirmação da detenção da cidadã, o porta-voz da Polícia Nacional na Huíla, inspector-chefe Fernando Tongo, afirmou que a mesma estava foragida, razão pela qual só hoje foi possível realizar a sua detenção, mediante um mandato.