Mais de 90 kilos de Cocaína e Liamba queimada em Luanda pelo SIC

O Serviço de Investigação Criminal SIC/Luanda, destruiu pelo método de incineração, na "Ricolix", Empresa de tratamento de resíduos industriais, aproximadamente 100 quilogramas de droga do tipo Cocaína e 1.109 quilogramas de Cannabis sativa vulgo Liamba, apreendidas na sequência de várias operações realizadas, nos vários bairros da cidade de Luanda e no Aeroporto Internacional de Luanda, com proveniência do Brasil.

DF

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O Serviço de Investigação Criminal, através das suas Direcções Centrais de Combate ao Narcotráfico, do Departamento de Investigação Criminal do Aeroporto Internacional de Luanda e do SIC/Luanda, destruiu pelo método de incineração, na “Ricolix”, Empresa de tratamento de resíduos industriais, aproximadamente 100 quilogramas de droga do tipo Cocaína e 1.109 quilogramas de Cannabis sativa vulgo Liamba, apreendidas na sequência de várias operações realizadas, nos vários bairros da cidade de Luanda e no Aeroporto Internacional de Luanda, com proveniência do Brasil.

 

Importa referir que a droga ora incinerada, foi apreendida em sede de sequência investigativa de um total de 257 processos-crime, com a detenção de vários cidadãos por tráfico de drogas, com alguns destes já condenados com penas de prisão efectiva e outros aguardam pelas respectivas audiências de julgamento, enquanto outros processos estão em instrução preparatória.

 

Realçar que o SIC está fortemente empenhado no combate ao Narcotráfico, porquanto para além dos males sociais que provoca no seio familiar é também influenciador para o cometimento de diversos crimes. Daí que a acção do SIC será implacável contra todos aqueles que insistirem nessas práticas.

 

Participaram deste acto de incineração o Digno Magistrado do Ministério Público junto do, Dr. Américo Praia, que acompanhou e fiscalizou o acto, os Directores Nacionais de Combate ao Narcotráfico, Comissário de Investigação Criminal, José Carlos, do Departamento de Investigação Criminal do Aeroporto Internacional de Luanda, Superintendente-Chefe, Paulo Ambrósio, do GCII, Superintendente de Investigação Criminal, Manuel Halaiwa, vários oficiais do Departamento de Narcotráfico de Luanda, peritos do Laboratório Central de Criminalística, entre outros efectivos do SIC e os Órgãos de comunicação social.

 

Finalmente o SIC reforça o seu apelo para o espírito de denúncia oportuna sobretudo da posse, Tráfico e consumo de drogas.

 

PUB