Januário Morais desaparece da cadeia no Kilamba Kiaxi, acusado provocar aborto que matou a Namorada

A 28 de setembro o Repórter Angola noticiou que a Polícia Nacional no Kilamba Kiaxi , deteve o jovem Januário Morais de 39 anos, depois incentivar a namorada de 25 anos a fazer o aborto num posto médico no Bairro 28 de Agosto/ Golf 1 . Passado duas semanas, o Jovem não se encontra na cadeia e nem o corpo da vitima foi entregue aos familiares para o enterro condigno.

DR

Tv Zimbo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Os familiares da Jovem ” Tetinha” que perdeu a vida em circunstâncias de que foi incentivada pelo namorado de interromper a gravidez, acusa o Hospital Geral de Luanda e o SIC Kilamba-Kiaxi de dificultar o processo no entregue do corpo para o enterro, duas semanas depois da morte .

segundo a reportagem da TV Zimbo, emitida esta quinta-feira,  a mãe da vitima disse que ” O Corpo está na morgue do Hospital Geral de Luanda e este por sua vez não quer entregar, porque exige um relatório médico para entregar ao SIC Serviços de Investigação Criminal”.

” ela morreu há duas semanas e até hoje não conseguimos enterrar, fomos a esquadra onde o suposto namorado estava detido na 32 Esquadra nos falaram que foi transferido no Nova Vida e lá não lhe encontramos” denunciou um dos tios da malograda.

o incidente aconteceu na  sexta-feira 25, no bairro 28 de Agosto, no município do Kilamba-Kiaxi, onde uma jovem de 25 anos, conhecida apenas por “Tetinha”, perdeu a vida após um aborto forçado pelo Jovem Namorado, Januário Morais.

“foram a um posto médico com a namorada, Januário Morais pediu a moça para tirar a gravidez  de 4 meses e acabou por morrer depois de muito sangramento” disse ocasião ao RA, uma fonte familiar da malograda.

uma outra fonte confirmou no dia  28 de setembro, a este portal que o jovem em causa já se encontra sob custodia das autoridades.

” o Jovem em causa já está detido desde sábado e será entregue ao Ministério Publico” confirmou sem avançar mais detalhes.

Em Angola, o novo Código Penal  proíbe, sem qualquer tipo de exclusão, o aborto,

PUB