Igreja Universal é uma “associação criminosa internacional” diz Ministério Público

O Ministério Público (MP) acusou esta sexta-feira19, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) de ser uma associação criminosa de cariz internacional e, entre várias outras acusações, afirmou também que os seus líderes andam a enganar os fiéis. A afirmação não foi bem acolhida pela defesa dos quatro réus em julgamento, que considerou que o MP não está a respeitar as regras processais penais. O ex-líder da igreja em Angola foi interrogado e negou todas as acusações.

FC

NJ

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Para os advogados de defesa da IURD, “o MP não tem legitimidade de falar em nome da IURD que está espalhada por mais de 150 Países”.

A defesa questionou o tribunal por que razão o bispo Valente Bizerra Luís, responsável da ala dos pastores dissidentes, não é arrolado como arguido no processo, uma vez que só foi despronunciado em Julho desde ano.

Durante o seu interrogatório, o bispo brasileiro Honorilton Gonçalves, antigo responsável espiritual da IURD em Angola e Moçambique, disse que a missão do bispo responsável é somente cuidar das ovelhas no seio da igreja, negando ser mandante do líder mundial Edir Macedo Bezerra.

Honorilton Gonçalves salientou que a IURD não é e nunca foi uma organização criminosa como agora pretendem fazer crer.

Quanto às queixas de extorsões aos fiéis, a defesa refuta tais acusações e diz que nenhum fiel é coagido a fazer doação à IURD e que todas as doações às igrejas no mundo são absolutamente normais e voluntárias.

“As doações são feitas na base da fé e no espírito da fé. Todas as organizações religiosas recebem doações dos seus crentes, porque as religiões são instituições sem quaisquer fins lucrativos”, disse a defesa, que acrescentou que “os bispos e pastores só pregam os ensinamentos da Bíblia em que os mesmos acreditam”.

Quando ao crime de burla por defraudação, a defesa disse que os arguidos nunca enganaram ninguém nem tão pouco induziram as vítimas em erro com falsas promessas, por isso negam todas as acusações e acusam os queixosos de má-fé.

Umas das fundamentações levantadas pelos advogados de defesa tem a ver com a usurpação da igreja fundada na década de 70 por Edir Macedo Bezerra por parte dos pastores dissidentes

PUB