Horizonte Njinga Mbande leva ao palco o “Funeral Interrompido”

A Companhia de Teatro Horizonte Njinga Mbande prepara, para este fim-de-semana, mais uma das suas “invasões teatrais”, desta vez com o “Funeral Interrompido”, uma peça que traz em abordagem questões sociais e leva à reflexão aspectos ligados à tradição e os seus contornos. Entre o “sim” e o “não”, uma mulher era a que mais sofria, não sabendo se cumpria o ritual e teria a sua vida salva, ou se o ignorava.

DR

Platina L

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

o “Funeral Interrompido”, uma peça que traz em abordagem questões sociais e leva à reflexão aspectos ligados à tradição e os seus contornos. Entre o “sim” e o “não”, uma mulher era a que mais sofria, não sabendo se cumpria o ritual e teria a sua vida salva, ou se o ignorava.

Com um elenco de primeira linha composto por David Enoque, José Galiano, Rafaela Geovete e Márcia Miguel, os artistas estão prontos para subirem ao palco do auditório Njinga Mbande, nos dias 23, 24 e 25 de Julho, às 19 horas, com a melhor performance possível aos espectadores, sempre com humor que caracteriza a companhia.

Dentro das suas atribuições culturais e sociais, o Horizonte tem agendado a realização de uma conferência de imprensa, no dia 27 de Julho, onde darão a conhecer a sua próxima estreia intitulada “Encontro”, em estreia nos dias 6, 7 e 8 de Agosto.

PUB