Governo de Luanda privatiza Parque da Floresta da Ilha

Paulo Neto, administrador da Ilha e Joana Lina, Governadora da Província de Luanda são acusados de privatizar o Parque da Floresta na ilha de Luanda

Gabriel José

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

De uma fonte próxima, o Repórter Angola tomou conhecimento da privatização do Parque da Floresta da Ilha e, são apontados como novos gestores os Russos., uma sonegação que tem como suspeitos, Paulo Neto, administrador da Ilha e Joana Lina, Governadora da Província de Luanda.

A fonte avança que as obras para construção de vários atractivos turísticos, estavam para começar em princípios deste ano, mas devido a covid-19 ficaram paradas.

“Os russos têm vindo cá regularmente para fazer o estudo e trabalhos de tipografia”, disse a fonte que não tem dúvida de ser um acto secreto, porquanto não houve divulgação publica.

Além da forte presença dos Russo, a suspeita é igualmente motivada pelas novas medidas de acesso ao local determinada pelo Administrador da Ilha de Luanda, que proíbe a entrada de pessoas para fins turísticos ou culturais.

Com mais de dois hectares, o Parque da Floresta foi criado há várias décadas e, possui uma variedade de árvores a volta de 700 espécies, maioritariamente “casuarina”.
Em tempos, o local encontrava-se abandonado pela Administração e, era o paraíso dos sem-abrigos, pescadores e toxicodependentes que viviam em barracas de lona, plásticos, paus e sucatas.

A isso juntava-se a população que se aproveitava do lugar e abatia as árvores que já careciam de água, até que recentemente sofreu uma limpeza que, na altura a administração criticada pela população, esclareceu que tratava-se de uma acção que visa dar uma melhor imagem e devido tratamento ao local.

Actualmente o local é controlado pela Polícia de guarda fronteira que, circula com armas e impede as pessoas de ter acesso ao mesmo,
A fonte não conseguiu precisar o valor exacto, mas acredita tratar-se de somas muito altas, envolvendo o governo provincial e o administrador.

Tema de músicas, poemas e obras de arte, a Ilha de Luanda tem uma longa fama turística, ela corresponde a um cordão litoral estreito com cerca de 7 km de comprimento, que separa a cidade de Luanda do Oceano Atlântico e, de óptimas relações físicas e visuais com o Oceano e a cidade.

De recordar que em Agosto de 2014, o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, criou por Despacho, uma Comissão de Coordenação de Requalificação da Ilha e Floresta de Luanda, o que não aconteceu.

No quadro da revitalização, seriam instalados, no local, áreas infantis, campos de jogos, mobiliário para ginástica e reflorestação da zona com uma alameda até à praia.

PUB