General das FAA de 55 anos morto a 28 facadas por uma menina de 17 anos

Foi Com 28 golpes de facas que uma MENINA DE 17 ANOS ESFAQUEIA SUPOSTO GENERAL NUMA PENSÃO.

DR

JOCrm

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Uma menina de apenas 17 terá esfaqueado um cidadão, de 55 anos de idade, supostamente general das Forças Armadas Angolanas (FAA), com 28 golpes de faca na região do tórax.

O crime ocorreu no interior do quarto de uma hospedaria Pátio de Viana, mais conhecida por Likizema, em Luanda, por volta das 9 horas, conforme contou a recepcionista do local, que prefere não ser identificada.

“Os clientes chegaram e pediram um quarto. Fizeram o pagamento, indiquei o quarto e eles foram. De repente, minutos depois começamos a ouvir gritos de socorro”, explicou, acrescentando que foram alertados pelos gritos e entre colegas correram para ver os motivos dos gritos.

“Chegamos na porta do quarto e começamos a bater a pedir para a moça abrir a porta, mas ela dizia que estava tudo bem, mas o senhor continuava a gritar e mostrava que não estava nada tudo bem. Mas como ela não abria a porta, um dos colegas foi obrigado a arrombar a janela e quando viu no interior do quarto o senhor já estava no chão cheio de sangue”, sublinhou, sustentando que a vítima ainda tinha os sinais vitais porque respirava e virava de um lado para o outro.

Vítima estável e intubada

Segundo apurou o Jornal O Crime, a vítima foi prontamente socorrida, pela Polícia Nacional, e levada ao hospital do Capalanca onde foi submetido a uma cirurgia em função de dois derimentos graves que atingiram o coração e o pulmão, conforme explica Luis Domingos, director do Hospital.

“Como o paciente tinha dois ferimentos bastante graves na região do coração e do pulmão e como estava numa situação de taponamento cardíaco (acúmulo de sangue no pericárdio com volume e pressão suficientes para prejudicar o enchimento cardíaco), nós tivemos que correr rapidamente ao bloco operatório onde fizemos uma toracotomia para drenar o sangue que estava a volta do coração”, explicou.

Segundo o médico, depois desse procedimento foi feita a sutura das feridas que estavam no pulmão esquerdo, tendo sublinhado que a vítima fez duas paragens cardiorrespiratórias durante a cirurgia e teve de ser reanimado para voltar à vida.

“Neste momento ele está estável, encontra-se ainda entubado e com ventilação mecânica até normal o seu estado clínico.

Suposta autora do crime detida

O porta-voz do Comando provincial da Polícia Nacional em Luanda, Nestor Goubel, disse que a suposta autora do crime já se encontra detida e que em breve será apresentada ao Magistrado do Ministério Público.

“Confirmamos aqui este homicídio frustrado, crime em que foi lesado o cidadão que atende pelo nome de Jacinto Queta Makanga, de 55 anos de idade. Importa referir que a presumível autora do crime já está detida e será presente ao Ministério Público para os procedimentos que se impõem”.

 “Sofria abusos sexuais sob ameaça de morte”

A jovem, de apenas 17 anos, suposta autora do crime, em sua defesa disse que desferiu os golpes ao cidadão porque estava cansada de ser abusada sexualmente sob ameaças de morte.

“Ele estava já a tentar me fazer de novo foi quando eu peguei a faca e o martelo, que eu levei, e começamos a lutar ali no quarto”, contou.

Questionada os motivos para o cometimento do crime, a jovem, visivelmente transtornada com a situação e com lágrimas nos olhos, disse que já estava cansada porque não era a primeira vez que tal acto acontecia contra a sua vontade.

“Não sei o que é que me deu, só sei que fiquei cansada disso. Porque ele me violava, me ameaçava de morte com uma arma e dizia que iria fazer mal na minha família”. Defendeu-se, garantindo que, por estas ameaças era obrigada a ter relações sexuais com a vítima à troco de nada e era mandada embora sem receber alguma coisa.

“Essa era a décima quinta ou décima quarta vez que ele faz isso. Eu venho a sofrer com isso há muito tempo mesmo e já não estava mais aguentar continuar com isso”, sustentou.

PUB