Funcionários do BPC na lista de despedimentos estão a “roubar” dinheiro das contas dos clientes

Nas últimas semanas, alguns cidadãos foram detidos pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), depois de terem dado emprestado os seus cartões multicaixas do Banco Poupança e Crédito (BPC), em alegados funcionários do mesmo banco, que constam na lista de despedimentos.

com NMC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Alguns gestores de contas que conhecem a regularidade com que o cliente usa o dinheiro, estão a transferir valores monetários para outras contas, e vão, depois, com uso do multicaixa, fazer pagamentos ou transferências para contas terciárias, soube o Na Mira do Crime de fonte do Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Segundo a mesma fonte, outros trabalhadores estão a recrutar vizinhos e familiares que tenham multicaixa do BPC, para que sejam depositados dinheiro roubado.

Como funciona o esquema?

Para tal, o funcionário do BPC pede emprestado o cartão a um amigo, alegando que vai fazer transferência para sua conta, uma vez que ele (bancário) não possui cartão. Pede que o alvo não se desloca a nenhum agência bancária enquanto o cartão estiver em sua posse. Em troca, a vítima recebe entre cinquenta a cem mil kwanzas.

Porém, diz um fuincionário bancário contactado pelo Na Mira do Crime, este crime só é detectado para aqueles que dificilmente fazem depósitos na suas contas. “Só cria suspeita quando a pessoa não movimenta muito a conta, e de repente recebe um grande valor, de resto é difícil apanhar aquele que sempre faz movimentos, a não ser que a vítima faz reclamação”, desvendou.

Este esquema, quando detectado, primeiramente recai para a pessoa que recebeu o dinheiro, uma vez que terá a conta bloqueada.

“Quando a pessoa que deu emprestado o cartão,  dirigir-se a uma agência para depositar ou levantar algum valor, o dinheiro fica cativado, e é descontado até concluir o que foi transferido ilegalmente para sua conta”.

Recentemente, o BPC informou que cerca de 200 trabalhadores serão despedidos já nesta segunda-feira 31. Este é o primeiro grupo de Mil e 600 trabalhadores das 18 províncias que serão afastados, tendo já os mesmos sido notificados.

Estas duas centenas de trabalhadores do maior banco angolano, incluindo funcionários com mais de anos de casa, já foram notificados do seu despedimento.

O Banco começou a proceder ao encerramento 53 agências bancárias, das quais 22 na província de Luanda, no dia 13 de Julho, do corrente ano.

É costume o roubo no BPC

Em Junho deste ano, um alto funcionário do BPC da direcção de operações da sede do Banco de Poupança e Crédito (BPC) foi detido, por supostamente ter retirado 180 milhões de kwanzas de forma ilícita, de uma das agências daquela instituição bancária. Outros roubos milionários no mesmo banco, são registados de forma consecutiva.

PUB