Família do Médico Sílvio Dala não confia no resultado da autópsia e promete avançar com uma acção judicial contra a Polícia Nacional

Médicos marcham sábado em Luanda contra barbaridades na morte do Pediatra Sílvio Dala, com familiares dizem que não confia no resultado da autópsia e promete avançar com uma acção judicial contra a Polícia Nacional. o Médico de 35 anos, foi morto em circunstâncias estranhas, depois de ter sido detido no dia 01 de de setembro, numa uma esquadra do bairro Rocha Pinto, em Luanda. policial,em Luanda, por não usar máscara facial na via pública

R.A com NJ

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
medico morto pela policia

A informação foi avançada  por Bartolomeu Luís, tio do médico pediatra, citado pelo Novo Jornal, e assegurou que Sílvio Dala teve um ferimento de sete centímetros na cabeça, enfatizando a desconfiança da família sobre as armações da PN, que chegou, inclusive, a dizer que a família do malogrado tinha acompanhado a autópsia onde ficara provado que a causa da more foi natural.
“Quando fizeram a abertura na nuca, jorrou muito sangue e um dos nossos familiares que acompanhava a autópsia disse que chamaria um médico especialista que estava lá fora connosco, porque não era especialista para aceitar os esclarecimentos. Não permitiram a entrada do médico e nós não concordamos com os resultados que nos apresentaram”, disse o tio de Sílvio Dala, acrescentando que não estão convencidos.

Segundo Bartolomeu Luís, a família já reuniu com a Ordem dos Médicos assim como o Sindicato dos Médicos de Angola para intentar uma acção judicial contra a Polícia Nacional.
“Já reunimos com esses duas instituições e vamos avançar com uma acção judicial contra a PN. Mesmo aquela testemunha que a polícia apresentou como tendo estado com Sílvio Dala na esquadra, nós desconfiamos que é um teatro montado. Porque conforme dizem que foi a queda, não causava um ferimento daquela dimensão. Ele terá levado mesmo uma pancada”, referiu.
De acordo com Bartolomeu Luís, muitos de nós já presenciou quedas de pessoas com AVC e nunca ninguém viu tamanho ferimento.
“Sabemos que tudo que fizermos agora não trará Sílvio Dala de volta. Mas queremos que essas praticam acabem de uma fez por todas e que se faça justiça”, disse.
O médico pediatra Sílvio Dala foi à enterrar no dia 06, em N’dalatando, onde residia.
Sílvio Dala foi retido na tarde do dia 01, pela Polícia Nacional, por não uso de máscara quando conduzia a sua viatura particular – esta obrigação caiu com o novo decreto Presidencial em vigor desde quarta-feira e, segundo Waldemar José, porta-voz do Ministério do Interior, a causa da morte ocorreu por causas naturais.
Waldemar José, que citou o médico legista encarregue da autópsia, armou que uma doença esteve na base da morte de Sílvio Dala.
O comissário clarificou que, antes de ser levado para o hospital, o médico teve uma queda (resultante de uma doença cardíaca) da qual resultaram escoriações na cabeça, mas tinha vida quando saiu da esquadra em direcção ao Hospital do Prenda.
E informou que a autópsia foi assistida por um membro da família e um procurador do Ministério Público (MP), sendo que o médico legista descartou qualquer possibilidade de as escoriações terem sido a real causa da morte

PUB