Falsas Vagas na Saúde: MINSA dá até sábado para candidatos assinarem contratos, tudo mentira

Os candidatos admitidos na segunda fase de preenchimento das vagas na saúde foram enganados, Ministério mentiu que têm até sábado, 5, para entregar os documentos e assinar os contratos, determinou, nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde (MINSA). muitos deles com notas positivas não são admitidos até hoje.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O Ministério da Saúde, enganou centenas de jovens que concorreram ao concurso publico para entregarem até sabado a documentação, nesta lista ainda constam canditados admitos em 2019 com nota de 13 valores e não foram convocados nem notificados para entregarem assinarem os contractos de trabalho.

Para os candidatos que se encontram em Luanda, segundo nota do MINSA a que a ANGOP teve acesso, deverão deslocar-se a Escola de Formação de Técnicos de Saúde de Luanda e nas demais províncias devem efectuar o processo nos Gabinetes Provinciais da Saúde.

Conforme o MINSA, os candidatos que não procederem em conformidade serão substituídos por outros de açodo com a lista de classificação final.

O MINSA recorda que a selecção dos candidatos obedeceu aos critérios da nota mais alta, especialidades, necessidades do sector e mobilidade.

Recentemente, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, anunciou o enquadramento de mais 9.290 profissionais, no quadro do concurso público de 2019.

Conforme a ministra, que falava à Televisão Pública de Angola (TPA), foi dada autorização para a admissão de 203 novos médicos, 4.829 enfermeiros, 3.894 técnicos de diagnóstico e terapêutico, 18 técnicos de apoio hospitalar e 346 do regime geral.

Com os novos enquadramentos, adiantou a ministra, fica fechado o concurso público de 2019, com um total de 16.290 profissionais admitidos, tendo em conta a inserção, numa primeira fase, de 7 mil candidatos.

Na primeira fase foram enquadrados mil, 242 médicos, dois mil e 757 técnicos de enfermagem, mil e 691 técnicos de diagnóstico e terapeuta, 779 técnicos de apoio hospitalar e 531 técnicos no regime geral.

PUB