Directora da Lucrécia Paím desmente notícias sobre empresa sua de Água Mineral

A directora da Maternidade Lucrécia Paím em Luanda, desmentiu em nota enviada ao Repórter Angola, notícias postas a circular pelo portal online Lil Pasta News e retomado pelo RA, sobre sua participação na empresa de Água Mineral, situada no Venho, cujo o teor abaixo publicamos como direito de resposta:

DR

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Numa nota com direito de resposta, a médica e directora da Maternidade Lucrécia Paím disse que tomou conhecimento da matéria veiculada por este órgão e esclarece

 

DIREITO DE RESPOSTA:

O Site Repórter Angola, publicou uma reportagem provida de imprecisões aviltantes, deturpações e falsidades, que maculam o bom nome e a reputação da Médica Manuela Mendes.
A reportagem publicada no dia 12 de maio, com o título: “Directora da Maternidade Lucrécia Paím abre empresa se água Mineral com dinheiro de burla”, está condensada de profusas inverdades e revela a tamanha maldade dos seus infatigáveis detratores.
É absolutamente falsa a informação veiculada, que fere, piamente, um dos princípios essenciais que regem o exercício da actividade jornalística, do qual um órgão de comunicação social que se preze não deve declinar, designadamente o princípio do cruzamento de fontes.
É preciso que haja uma reflexão sobre a qualidade das informações divulgadas, especialmente quando servem tão somente para a atingir negativamente a reputação das pessoas e, injustamente, para dar corpo à uma campanha de intoxicação de “notícias” inexactas, engendradas com o único desígnio de denegrir a honra e imagem. A finalidade da matéria publicada visa confundir a opinião pública.
É clarividente que um meio de comunicação social deve pautar-se por uma conduta imparcial, rigor informativo, responsabilidade social e, entretanto, deve basear-se sempre no princípio mais básico dos manuais de jornalismo e ética e deontologia: ouvir todas as partes. É assim que agem os órgãos de comunicação sérios e experimentados, aliados ao dever de bem informar e formar, pautado na neutralidade e isenção.
A população, de modo geral, merece receber matérias jornalísticas repletas de credibilidade e não matérias truncadas, distorcidas, tendenciosas, manipuladoras e sem qualquer cunho informativo.
É, igualmente, falso afirmar, que a Médica Manuela Mendes, terá utilizado o dinheiro da burla para constituir uma empresa. Trata-se, pois, de um facto que nunca aconteceu, fabricado de forma ingénua no afã de adornar a maldade. Tudo isso não passa de uma fértil e mórbida imaginação, imbuída de má fé, para sujar a imagem da Médica Manuela Mendes, com informações falaciosas e sem valor noticioso.
A Médica Manuela Mendes, disponibilizou toda informação aos órgãos policiais e judicias, sobre o caso Build Angola, estranha a insistência do envolvimento do seu nome, num acto criminoso que prejudicou inclusive seus familiares.
A médica Manuela Mendes, ao longo da sua trajetória profissional conseguiu criar projectos empresarias, com muita dedicação e honestidade, sem precisar de recorrer a métodos enganadores. Logo, concluímos que mentiram a opinião pública, com as suas alegações e instigações.
Para finalizar, apela-se aos internautas a não se deixarem manipular, nem ceder ou até mesmo partilhar essas falsas informações.

PUB