Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, Angola, assinala 115 anos com memorial a vítimas de acidente

O Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CGM) vai assinalar os seus 115 anos de existência com um memorial para homenagear as 18 pessoas que morreram na sequência de um acidente ocorrido naquela via ferroviária.

DR

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CGM) vai assinalar os seus 115 anos de existência com um memorial para homenagear as 18 pessoas que morreram na sequência de um acidente ocorrido naquela via ferroviária.

Segundo o presidente do conselho de administração do CFM, Daniel Quipaxe, os nomes das vítimas do acidente, ocorrido em 2018, no município da Bibala, província do Namibe, estarão cravados numa lápide.

As obras, que decorrem há três meses, estão a 97% da sua finalização e o monumento deverá ser inaugurado no dia 26 deste mês, dois dias antes da data que assinala a existência do CFM.

Daniel Quipaxe, citado hoje pela agência noticiosa angolana, Angop, referiu que o memorial foi construído na curva onde ocorreu o acidente, que envolveu uma composição de carga do CFM e outra de serviço de manutenção sob responsabilidade de uma empresa chinesa.

Além dos 18 mortos, outras dez pessoas ficaram feridas.

PUB