Bilhetes de passagem de Metro de superfície vai custar 1.738 kwanzas

A bilheteira do Metro de Superfície de Luanda prevê facturar anualmente mais de mil milhões de dólares, transportando mais de 398 milhões de passageiros durante os 365 dias de cada ano, uma vez que o custo total de cada bilhete ficará na ordem dos 2,7 dólares, correspondentes a 1.738 kwanzas à taxa média de câmbio actual, indicam cálculos baseados em dados do estudo da demanda económica do projecto.

DR

NJ

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Até 2025, período previsto para a conclusão da primeira fase do projecto, serão gastos 850 milhões de euros, estando planeado que, ainda em Dezembro de 2021, vão ser disponibilizados 100 milhões de euros como primeiro aporte.

A bilheteira do Metro de Superfície de Luanda prevê facturar anualmente mais de mil milhões de dólares, transportando mais de 398 milhões de passageiros durante os 365 dias de cada ano, uma vez que o custo total de cada bilhete ficará na ordem dos 2,7 dólares, correspondentes a 1.738 kwanzas à taxa média de câmbio actual, indicam cálculos do Novo Jornal baseados em dados do estudo da demanda económica do projecto.

O documento, de 32 páginas, a que o NJ teve acesso, detalha que, efectivamente, a venda de bilhetes será subsidiada até 1,20 dólares, sendo que cada passageiro terá de pagar os outros 1,50 dólares que totalizam, deste modo, os 2,7 USD do tarifário real.

No conjunto dos seis preços de bilheteira de referência para o Metro de Superfície de Luanda, o do nosso País só será inferior ao da capital sul-africana, Joanesburgo, que está avaliado em 3,10 dólares, contra os nossos 2,7 USD (ver gráfico abaixo), enquanto o tarifário inferior é o do Porto, em Portugal, estimado em 1.33 dólares, assinala o estudo com referência ao mês de Janeiro do presente ano.

O projecto será edificado em quatro fases, terá um investimento global de mais de três mil milhões de dólares, dos quais 900 milhões USD, correspondentes a 30% do valor total, serão cedidos pelo Estado, enquanto os restantes mais de dois mil milhões de serão garantidos pela empresa alemã Siemens Mobility.

Segundo o ministro dos Transportes, Ricardo D” Abreu, a primeira fase do megaprojecto estará concluída em 2025 e ligará o Porto de Luanda à Centralidade do Kilamba, num troço de 37 quilómetros, prevendo-se que irá beneficiar pelo menos três milhões de habitantes. O projecto terá uma extensão total de 149 quilómetros. O início da primeira fase tem data prevista para o primeiro semestre do próximo ano.

PUB