Balcão do BPC arrendado a um libanês por um alto funcionário do Banco Estatal , para fazer armazém continua sem o controlo do mesmo no São Paulo de Luanda

Um ano depois, o Banco BPC ainda não conseguiu recuperar a propriedade do Balcão, localizado no São Paulo e que foi arrendado a um empresário libanês por um funcionário do mesmo. Fontes acusam director do SIC afecto a 6* Esquadra junto a cidadela de ter arquivado o caso em troca de milhões de Kwanzas, o Libanês continua a depositar a sua mercadoria depois de ter arrombado o cadeado colocado pela equipa multisectorial criado pelo BPC composto por três Técnicos do departamento de segurança, dois administradores , três do departamento comercial e três do ADIP.

DR

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Em setembro de 2020, este portal terá reportado uma história de um funcionário do banco BPC que terá arrendado um dos balões do mesmo banco estatal, a um cidadão libanês há mais de quatro anos e que recebia o valor. https://www.reporterangola.info/pagina_sociedade/funcionario-do-bpc-arrendou-balcao-a-um-libanes-e-recebia-dinheiro-ha-4-anos/

Entretanto, volvidos quase um ano, a situação continua na mesma, como director do SIC da sexta esquadra junto da cidadela desportiva a arquivar o processo a troco de 25 milhões de Kwanzas, segundo fez saber um responsável do BPC, sob ano ao Repórter Angola.

” O processo ficou arquivado, nem água vem e nem água vem, o libanês chegou de arrombar o cadeado que a equipa multisectorial colocou na porta e continua a depositar lá às suas mercadorias, o SIC já não disse nada, como se o Libanês terá já pago uma quantia monetária para se esquecer o caso” denunciou o alto funcionário do banco público BPC.

Um Balcão do Banco Estatal BPC, no IMPROE localizado no São Paulo, foi arrendado pelo Funcionário Nsoki do departamento de segurança e contratação, a um empresario Libanês, sem o conhecimento do Banco.

Makas no Banco de Poupança e Credito, onde um funcionário Senior está a ser acusado de ter arrendado uma instalação da Instituição, a um Libanês que fez do antigo Improe um Armazem comercial e pagava a renda ao Senhor Nsoki.

 

acontece que um Balcão do Banco Estatal BPC, no IMPROE localizado no São Paulo, foi arrendado pelo Funcionário Nsoki do departamento de segurança e contratação, a um empresario Libanês, sem o conhecimento do Banco

 

O funcionário pertencente aos quadros seniores do BPC, segundo apurou o RA, trabalha no departamento de segurança e contratos, na qual foi delegado para fazer auditoria naquele Balcão do Banco, onde chegou de declarar falência, tendo sido encerrado semanas depois em 2014.

 

segundo a fonte do RA, o Sr. Nsoki contratou um Libanês que precisava do espaço para transformar em Armazém, e arrendou o espaço e comia o dinheiro sozinho, sem o conhecimento da direção central.

 

o valor do arrendamento arrondava os 250 mil mensalmente e a pratica, ocorria há mais de 3 anos.

 

o RA, contacto tentou ouvir o Empresário Libanês, que garantiu estar a procura de um outro espaço para colocar as mercadorias existentes na referida loja, e garante ter feito uma carta a solicitar ao Banco, e entregue ao Sr. Nsoki que nunca fez chegar a quem de direito.

 

PUB