Activista Nito Alves apela “Resistência e Coragem Revolucionaria até a morte” para Manifestações

O Jovem Revolucionário Manuel Baptista Chivonde Nito Alves anunciou ao Repórter Angola, que vai "Participar nas próximas manifestações agendadas para este sábado 23 e no próximo dia 10 de Dezembro em Luanda" e apelou "Resistência da Juventude até a Morte em defesa dos ideias do País". para Nito Alves "Não podemos deixar que João Lourenço governe este país como se da Lavra da mãe dele se tratasse", alertou.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O activista cívico, Nito Alves confirmou hoje que vai marcar presença na marcha agendada para este fim de semana em Luanda, apesar de estar em fase recuperação de saúde física, após uma brutal agressão policial no passado dia 11 de Novembro, durante a manifestação contra o desemprego e pelas autarquias, frustrada pela Polícia Nacional.

Em declarações durante uma entrevista ao Repórter Angola , esta terça-feira 17, o activista informou que está a recuperar estado de saúde ” confirmou a minha  presença para as próximas manifestações a decorrer no este sábado e no dia 10 de Dezembro, pelas mesmas palavras de ordem. porque Não podemos deixar que João Lourenço governe este país como se da Lavra da mãe dele se tratasse”, disse o activista Nito Alves.

Nito Alves, ficou gravemente ferido e inconveniente após ser agredido  pela Polícia Nacional, nas imediações do Comando Provincial de Luanda, durante a concentração para os protestos do dia 11 de Novembro, quando Angola celebrava os 45 anos de Independência Nacional do colono português.

No final da tarde do mesmo dia de protestos pela cidadania, pelo fim do elevado custo de vida e desemprego, denúncias davam conta que agentes da corporação, afectos ao Serviço de Investigação Criminal (SIC), ficaram mais de duas horas, no Hospital do Prenda, em Luanda com uma viatura de chapa LD-82-18-HJ, com a missão de tirar o activista Nito Alves da sala de cirurgia para um lugar incerto.

O Deputado independente e advogado David Mendes, foi ao encontro destes fazendo com que os efectivos do SIC não levassem para parte incerta o integrante do processo 15+2 que lutava pela vida na sala de cirurgia.

“vamos até as ultimas consequências nesta Governação de João Lourenço, é um outro Ditador, levei 5 pontos devido aos golpes  na  cabeça, mas isso não me faz desistir, apelo a Resistência de todos angolanos face a esses ditadores , face aos policiais do MPLA que devria ter comportamento Republicana, a manifestação é de lei está na Constituição que José Eduardo mandou fazer a seu favor, logo não podem reprimir o pacato cidadão que vai as ruas exigir seus direitos” insistiu.

Polícia Nacional de Angola, é acusada de disparar mortalmente contra o jovem activista, Inocêncio de Matos, durante a repressão contra os manifestantes, num dia que Angola celebrava os 45 anos de independência no país.

PUB