Sobrinho, a Luta continua dos Madalenos a bem da Economia Nacional

Alvaro Sobrinho não é santo nem cristo, mais o porquê de tanta cruxificação de um empresário nacional que dá postos de trabalhos aos angolanos? Em todos sectores. O porquê de tanta difamação do seu bom nome?

DF

João Paulo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Sobrinho, a Luta continua dos Madalenos
Alvaro Sobrinho não é santo nem cristo, mais o porquê de tanta cruxificação de um empresário nacional que dá postos de trabalhos aos angolanos? Em todos sectores.
Tenho estado a acompanhar nos últimos dias sobre algumas matérias encomendadas a cerca de empresários Nacionais como Alvaro Sobrinho, seus irmão, Isabel Dos Santos, Bento Kangamba entre entre outros, e me tem deixado muito preocupado.
Se Do ponto de vista legal, há que enfatizar, que Álvaro Sobrinho não foi condenado em lado algum do mundo por corrupção ou qualquer crime associado. Em Portugal, o Tribunal da Relação de Lisboa anulou os arrestos sobre os seus bens que tinham sido abusivamente impostos, e nas Ilhas Maurícias o Tribunal de Apelo também lhe deu razão numa contenda judicial sobre as suas actividades financeiras. Isto quer dizer que depois da espuma que foi levantada para denegrir o seu bom nome, Álvaro Sobrinho tem sido sempre absolvido.
Por isso, é obviamente abusivo fazer qualquer ligação entre a sua pessoa e a corrupção que grassou em Angola.
O mais importante é o futuro de Angola, Álvaro Sobrinho está em Angola, Não fez como muitos que fugiram do país, e se escondem por trás de muros e jurisdições legais para não responderem pelos seus crimes. Em Angola, poderá ser processado e julgado se alguém quiser. E é em Angola que investe e continuará a investir a bem do progresso e prosperidade nacionais.
E, além dos investimentos comerciais, Álvaro Sobrinho, tem estado a apoiar, e pretende continuar, várias actividades de relevo social, como projecto da aldeia das artes no Mussulo, a oferta de um escritório de luxo ao Jornalista de Investigação Rafael Marques de Morais no centro da cidade, a implementação de um campo de Golfo para implementação do Turismo e Desporto.
o Álvaro Sobrinho teve o bom senso de conceder um espaço através de um contrato de comodato para a instalação do Centro de Estudos o UFOLO”, assumiu Rafael Marques.
De recordar que no período em que o país era governado por José Eduardo dos Santos, o jornalista Rafael Marques, era crítico de quase todo o aparelho de Estado, e de pessoas próximas ao regime, e o empresário Álvaro Sobrinho não foi excepção. Em 2014, por exemplo, o Maka Angola de Rafael Marques, publicou uma matéria intitulada: “Os maus lençóis do Banco Espírito Santo Angola”, na qual fez imensas denúncias contra Álvaro Sobrinho.
o jornalista Rafael Marques lembrou que o empresário Álvaro Sobrinho foi durante anos patrocinador de um instituto em Londres, ao qual investia um milhão de libras, cerca de 1,3 milhões de dólares por ano, e que em face disso, não hesitaria em receber um apoio do referido empresário.
Alvaro Sobrinho foi um dos corajoso Jovem Empresario que repatriou Capitais para Angola, segundo uma fonte da PGR

PUB