Vice Governador de Cabinda ficou 18dias no cargo e toma conhecimento da exoneração pela TPA

O arquitecto angolano Paulo Dinis Luvambano (na foto), é citado por fontes familiares em Cabinda como tendo tomado conhecimento da sua exoneração do cargo de vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-Estruturas, através do telejornal da TPA, do dia 18 de Junho.

DR

Repórter Angola/ Ck

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Apesar de ter sido nomeado no dia 12 de maio, Paulo Dinis Luvambano tomou posse no palácio presidencial no dia 1 de Junho. Ao regressar a província de Cabinda, nas suas novas funções, o mesmo tomou parte de uma reunião de trabalho com o Secretário de Estado para as Obras Públicas, Carlos Alberto Gregório dos Santos, na qual tomou posições defendendo um rumo de desenvolvimento para o enclave tal como uma nova tipologia para habitações para uma nova centralidade, contraria a programada pelo governo central.

Posto em Luanda, segundo apurou o Club-K, o Secretário de Estado para as Obras Públicas comunicou ao Ministro, Manuel Tavares de Almeida sobre o respaldo desenvolvimento da reunião em Cabinda. Ambos chegaram a conclusão que o ex – novo vice-governador de Cabinda para os Serviços Técnicos e Infra-Estrutura estava a tomar posições que desrespeitavam um alegado decreto presidencial.

O ministro das Obras Públicas por sua vez, telefonou ao próprio vice-governador instruindo-o a dar descontinuidade sobre ordens que Paulo Luvambano havia baixando em contradição ao decreto presidencial. De seguida, Manuel Tavares de Almeida telefonou ao Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço recomendando a exoneração de Paulo Dinis Luvambano, que – desde a tomada de posse – ficou no cargo por 18 dias.

PUB