Sindicato de Jornalistas Angolanos preocupado com posicionamento politico e censura nos media

O Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) está preocupado com o tratamento de questões políticas nos órgãos de comunicação social públicos e privados e lamentou os “atos de censura” que se têm registado.

DR

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Descontentamento foi manifestado no comunicado do VI Congresso do Sindicato dos Jornalistas Angolano, realizado neste sábado, em Luanda. A eleição da direção do sindicato, prevista para o evento, entretanto, foi adiada.

Em Angola, a associação que defende os profissionais da imprensa está preocupada com o modo como alguns órgãos de comunicação social estão a se posicionar perante as questões políticas, assumindo-se parte das intrigas partidárias.

O posicionamento consta numa deliberação aprovada no sábado no VI Congresso do SJA, a que a agência Lusa teve hoje acesso.

No documento, o SJA manifesta-se preocupado com “a maneira como alguns órgãos de comunicação social públicos e privados têm estado a posicionar-se perante questões políticas, assumindo-se parte, violando deste modo a deontologia profissional bem como a Constituição, que impõe tratamento igual e imparcial”.

O Sindicato deplora também os atos de censura que se registam em vários órgãos de comunicação social e recomenda aos jornalistas que “invoquem a cláusula de consciência quando são chamados a cobrir atos que violem a deontologia, reserva última para a credibilidade da profissão”.

O SJA decidiu realizar eleições para a renovação de mandatos num período máximo de três meses e não inferior a 45 dias, ato que estava previsto para sábado, mas não se realizou por limitações de tempo devido às restrições resultantes da situação pandémica.

Foi também aprovada a alteração da quota sindical para um por cento do salário dos filiados do SJA e os relatórios de atividade e financeiros da direção cessante, referentes ao exercício de 2015 a 2019.

PUB