Regresso de Fernando Heitor na UNITA, militantes indignados

Um conjunto de militantes e apoiantes da UNITA manifestaram-se descontentes, através das redes sociais, com o anúncio feito ontem pelo economista e político Fernando Heitor do seu regresso ao partido fundado por Jonas Savimbi, após a revelação do seu desligamento há quase 5 anos, por descontentamento com a direcção na altura liderada por Isaías Samakuva.

DR

Repórter Angola/ CK

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O antigo deputado ligado a UNITA, Fernando Heitor, disse à Rádio Despertar que nunca abandonou o partido que milita há mais de 40 anos, e sempre conservou as ideias do “Galo Negro”. Mas admite que teve que abdicar-se dos cargos de direcção por não se rever na antiga direcção liderada por Isaías Samakuva. Afirmação que deixou alguns militantes revoltados, considerando o economista como traidor.

Este conjunto de militantes demonstrou a sua indignação e consternação pelo facto do partido União Nacional para Independência Total de Angola (UNITA), querer voltar a abrir as portas ao antigo administrador não executivo do Banco de Poupanças e Crédito (BPC), por na altura no dia 16 de Agosto de 2017, faltando poucos dias para realização das eleições gerais daquele ano, ter dito que já não se revia na direcção e ver-se forçado a abandonar a UNITA

O antigo deputado ligado a UNITA, Fernando Heitor, disse à Rádio Despertar que nunca abandou o partido que milita há mais de 40 anos, e sempre conservou as ideias do “Galo Negro”. Mas admite que teve que abdicar-se dos cargos de direcção por não se rever na antiga direcção liderada por Isaías Samakuva. Afirmação que deixou alguns militantes revoltados, considerando o economista como traidor.

Vamos recordar os pronunciamentos do economista e político Fernando Heitor aquando o anúncio do seu abandono da UNITA.

“Já não me revejo na actual direcção da UNITA nem nas suas práticas quotidianas e muito menos no programa de governação que estão a propor ao país nestas eleições”, disse e assegurou que a UNITA é um partido desencontrado do ponto de vista político e ideológico e sem uma estratégia de Estado lúcida e realista que se adeque ao presente e virado para um futuro de progresso, estabilidade e seguro social.

Os militantes, apoiantes e alguns responsáveis deste partido, afirmam que “basta de hipocrisia e basta de falta de coragem. Fernando Heitor é um traidor”, dizem.

Outros ainda disseram ao nosso jornal que “é esta hipocrisia e falta de coragem que têm feito crescer um conjunto de políticos aproveitadores no galinheiro”, alertando a actual direcção liderada por Adalberto Costa Júnior de que, “a melhor forma de estancar o seu crescimento é termos a coragem de mudar o que tem de ser mudado”.

PUB