Palhaçada de Justiça: AUGUSTO TOMÁS em Liberdade

O político tinha sido internado de urgência, após testar positivo à Covid-19, pelo que, a pedido da equipa de advogados de defesa, os serviços penitenciários, autorizaram, Augusto Tomás, a “cumprir a pena provisoriamente”, nesta fase crítica de saúde, em sua própria residência, onde poderá continuar com o tratamento.

DR

O Decreto

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O antigo Ministro dos Transportes, Augusto Tomás, condenado, a 14 anos de prisão, no “Caso CNC”, foi mandado para casa, provisoriamente, a pedido da equipa de defesa, soube O Decreto de fontes familiares.

O político tinha sido internado de urgência, após testar positivo à Covid-19, pelo que, a pedido da equipa de advogados de defesa, os serviços penitenciários, autorizaram, Augusto Tomás, a “cumprir a pena provisoriamente”, nesta fase crítica de saúde, em sua própria residência, onde poderá continuar com o tratamento.

Segundo fontes do Tribunal Supremo, um novo pedido de recurso a favor de Augusto Tomás está na forja.

Desta vez, o recurso extraordinário, que será entreposto pelo Advogado Sérgio Raimundo, e pelo facto de ser, Augusto Tomás, o único “graúdo” detido, Tomais, poderá ser solto por definitivo.

O antigo Ministro encontra-se estável após alta dada pelos médicos que o assistiram na clínica Girassol.

Augusto Tomais está agora a cumprir o tratamento exigido pelas autoridades sanitárias em sua casa.

Tomás tinha sido autorizado recentemente para participar no velório de sua mãe, onde se suspeita que tenha tido contacto com casos suspeitos e contraído o vírus.

PUB