Nelson Lopes Funete fiscaliza obras do PIIM no coração de Luanda

Uma Caravana do 2º Secretário do MPLA em Luanda, Nelson Funete , fiscaliza obras do PIIM no coração da Capital angolana. O Ex- Administrador do Kilamba Kiaxi está em movimentos constantes em Luanda, o Jovem Político que pintou KK.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Depois do segundo secretário do MPLA em Luanda, Nelson Lopes Funete ter passado nos seis municípios da sua circunscrição, ontem, 14 de Janeiro de 2021, trabalhou nos sete distritos da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda. A visita que teve o início na esquadra da Boa Vista, terminou no distrito da Maianga, bairro do Cassequel do Buraco.

Durante a visita, várias obras pareciam ter orçamento exorbitante como é o caso do campo polidesportivo do Ngola Kiluange no bairro Uíge cujo orçamento é de 390.525.483,84 AKZ (trezentos e noventa milhões, quinhentos e vinte cinco mil quatrocentos e oitenta e três e oitenta e quatro cêntimo). Já no Distrito Urbano Neves Bendinha, apesar de ter a mesma tipologia, porém, o orçamento está avaliado em 268.171.278,67 AKZ com uma diferença de 122 milhões de kwanzas.

Das obras visitadas, apenas uma que se encontra sob responsabilidade da empresa Ango Real Obras Púb. E Construção Civil, tem o orçamento mais reduzido. Ampliação de sete salas de aula e construção de uma quadra desportiva, está avaliado apenas em 81. 244.233,00 AKZ.

Falando à imprensa, o fiscalizador do PIIM em Luanda sente-se satisfeito porque, muitos jovens, conseguiram o seu primeiro emprego e, com a conclusão das obras, haverá incentivo no desporto, educação e dar mais saúde às comunidades. Questionado sobre as vias de acesso que liga tecnocarro e o bairro Uíge, Funete diz tomar boa nota e levará as preocupações junto do governo da província.

Quanto a disparidade nos orçamentos das obras, respondeu: “nós também tivemos a mesma preocupação. O mesmo modelo do campo polidesportivo é feito no Ngola Kiluange, Sambizanga e na Maianga mas com orçamentos diferentes, segundo os empreiteiros, o valor tem a ver com os estudos do solo que cada uma das empresas fez. No distrito do Neves Bendinha, o empreiteiro teve de retirar todo o solo e colocar o novo por ser uma zona freática, logo, o preço não seria igual”, rematou.


PUB