Não deram presunção de inocência ao Major Milionário Pedro Lussaty?

Aonde foi detido o Major Milionário Pedro Henrique? No aeroporto ou por detrás da sua casa, onde foi alvejado? a TPA começou a nos brindar com um presente podre e envenenado que mete confuso qualquer um que acompanha o caso, diferente de um detido que fala com tanta calma e tanta serenidade como nada tivesse feito, muito estranho.

RA

Daniel Frederico/ Opin

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

No mês  passada o chefe das Finanças da banda musical da Presidência da República, major Pedro Lussaty, foi detido quando transportava duas malas carregadas com 10 milhões de dólares e 4 milhões de euros para os quais não justificou a posse e, alegadamente, procurava retirar do País, esta história veio em primeira mão reportada pela Televisão Pública de Angola, mais tarde a informação sobre o local da detenção é alterada pela mesma estação televisiva no seu programa denominado “Banquete” do jornalista Cabingano Manuel.

Ora bem, em todas essas informações, em nenhum momento a TPA, percebeu que o major goza de uma presunção de inocência, os ataques são direcionados a uma só pessoa como se um esquema capaz de vazar todo sistema financeiro da presidência da república de um País sério, estivesse na responsabilidade deste “menino” de 43 anos.

Até prova em contrário, Pedro Lussaty, não passa de um testa de ferro dos generais que mandaram e mandaram na casa de segurança do presidente da república, como sendo membros do partido governante o MPLA e com o aproximar das eleições, querem colocar o dinheiro retirado por via ilícito a disposição do João Lourenço para se fazer de uma campanha eleitoral, sobre a sua luta de combate a corrupção.

Não se admite que  um major se dirige a um ministério das Finanças e faz os sucessivos pedidos de créditos em nome da UGP e é encaminhado ao BNA para levantar caixas seladas de valores avultados. Não se aceita, nem um burro pode aceitar.

A naturalidade como se expressa, a tranquilidade como fala sem se preocupar de que terá lesado o estado, chega-me a tirar duas lições nessa estória:

1) ou o dinheiro é mesmo do governo foi retirado do BNA para fazer a encenação teatral para ludibriar os menos atentos e falarem em combate contra a corrupção, Ou.

2) o dinheiro pertence a uns tantos generais como Kopelipa, Dino, que viram em Jovem Lussaty um potencial testa de ferro para aguentar o barulho, e entregar na para este fazer chegar.

Aliás, o próprio Pedro Lussaty é um agente da contra inteligência militar SISM, por isso o seu passaporte de serviço não foi desfolhado na reportagem da TPA.

Fiquemos atentos, as manobras dos últimos tempos .

 

PUB