Ministro dos transportes Ricardo D’Abreu acusado de Má gestão, nepotismo e arrogância pelos funcionários da TAAG que pedem a sua exoneração

Colectivo de Trabalhadores da TAAG, escreveu ao Presidente da República pedindo exoneração do Ministro dos Transportes Ricardo D'Abreu que acusam de ser arrogante, nepotista, má gestão e racista e homossexual que coloca em lugares chaves das direções de emprasas do sector cidadãos estrangeiros , familiares e amigos seu.

DR

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Num documento que este portal teve hoje acesso os funcionários da bandeira aérea estatal angolana apelam aos colegas e compatriotas trabalhadores da TAAG, “vamos nos mobilizar e criar um movimento, para impedir a entrada de expatriados para companhia, e da NEO colonização, da TAAG, vamos paralisar ou fazer resistência às imposições do Sr Ministro dos Transportes, com o beneplácito do Presidente da República, que nos decepcionou completamente, para que e porque os Angolanos lutaram para a sua independência e Liberdade, este Conselho de Administração da TAAG o recém nomeado è um atentado à inteligência dos quadros nacionais, e uma discriminação racial evidente, haverá derramamento de sangue na TAAG, fica o alerta ou aviso, não nos subestimem”.

O Repórter Angola pública na íntegra a carta do colectivo de trabalhadores da TAAG, enviada ao Presidente da República João Lourenço.

O colectivo de trabalhadores da TAAG, com bastante tristeza, tomou conhecimento do comunicado do Ministério dos Transportes sobre a decisão da Assembleia Geral Universal de Accionistas da TAAG para eleição dos Membros do Conselho de Administração da TAAG e questiona o seguinte ao Sr. Ricardo de Abreu:

1. Quem representa os accionistas (IGAPE, ENNA e Fundo Social dos Trabalhadores do Sector dos Transportes) e porque nunca foram apresentados?

2. Tendo havido a Sessão da Assembleia Geral Universal de Accionistas da TAAG quem representou os trabalhadores? 3. O Ministro Ricardo de Abreu esta a mentir ao usar a imprensa para enganar o publico que selecionou a empresa de “caça talentos” para a eleição dos membros do Conselho de Administração agora nomeados, senão vejamos: a) Onde fez a caça dos talentos se os quadros angolanos com competência comprovada nacional e internacionalmente, em relação aos que foram eleitos, estão entre os mais de 30 milhões de angolanos?

b) Que critérios foram utilizados para seleção e eleição dos Membros do Conselho de Administração da TAAG?

c) O que terá motivado a recondução da principal, incontornável e incompetente figura, o anterior PCE, Rui Carreira, que levou a TAAG a actual deplorável situação?

d) Que mais-valia se pretende no Conselho de Administração com a eleição da luso-angolana Sra. Adelaide Godinho, conhecida como racista, fraca jurista, desprovida de conhecimentos e experiencia de gestão, que mais contribui para os actuais contratos em prejuízo da TAAG. Quando chamada a defender os angolanos junto da Administração da Emirates nada fez, acabando por beneficiar os estrangeiros;

e) Que clima trará na TAAG com a delfim da Emirates, Custodia Gabriela Bastos, portuguesa, bem conhecida como Sra. das comissões ( ela e a sua amiga Directora Helena Costa), mesmo a ganhar mais de 12 mil USD, 400 mil Kuanzas para renda de casa e cartão VISA da TAAG (com plafond de 10 mil USD), a perseguir os quadros angolanos competentes se a sua preferência é trabalhar com portugueses ou outros estrangeiros. f) Que respeito haverá do nosso país com a Sra. Lisa Mota Pinto Mcnally, portuguesa que, em Novembro de 2016 e repetidamente em 06 de g) Janeiro de 2017 retirou, perante todos trabalhadores, a foto do anterior Presidente da Republica, José Eduardo dos Santos, e a Bandeira de Angola do gabinete da anterior Delegada da TAAG para a República da Namíbia, em total desrespeito dos símbolos nacionais e que lhe custou a expulsão de Angola no prazo de 48 horas. h) Que combate ao nepotismo está a ser feito em Angola se o cunhado do Ministro Ricardo de Abreu, Eduardo Fairen Soria, marido da sua prima e assistente, é nomeado a PCE, com poucos anos na aviação e menos experiencia comparado aos angolanos competentes de referencia nacional e internacional que intencionalmente o Ministro tem excluído. Consta dos registos que Sr. Eduardo Fairen Soria já retirou da TAAG, sem trabalho nenhum, mais de 1 milhão e meio de dólares com falsos trabalhos de consultoria que nunca fez através da empresa de Consultoria, Blackbird. i) O mais agravante é que na eleição feita nota-se uma gritante manifestação racial por parte do Ministro. Pois que dos indicados há apenas uma negra que também não tem experiência de gestão de aviação. Contratação de Estrangeiros Se o Ministro acha que não há competência nacional para gerir um segmento de negócio do país como a TAAG, então não haverá competências para gerir o Ministério dos Transportes e consequentemente, nem o país.

O Ministro Homossexual Ricardo de Abreu demonstrou, desta forma, não estarmos preparados para a independência económica de Angola. Afinal, interesse de que partido defende o Sr. Ricardo de Abreu ao criar tamanho desânimo ao povo angolano no geral e aos trabalhadores da TAAG em particular.

O Sr. Ministro Ricardo de Abreu, com mais este acto, continua a ferir a esperança dos angolanos no geral e dos trabalhadores da TAAG em particular que depositam ao fiel servidor e depositário de esperanças, o MPLA.

S. Excia. Sr. Presidente da República A atitude do Sr. Ministro dos Transportes provou um profundo sentimento de traição ao desenvolvimento da TAAG em particular e, podes e constituir igualmente traição a pátria, por se espelhar falta de patriotismo (porque angolanos capazes não faltam) ética profissional e estar constantemente a mentir a sociedade angolana para satisfazer seus interesses inconfessos.

Perante o quadro tão deplorável que o Ministério dos Transportes no geral se encontra hoje, era expectante a exoneração de Ricardo de Abreu. Quando se pretende acabar com uma planta imprestável começaproteger O Ricardo Abre se pela raiz e não pela ramificação.

Luanda,21 de Outubro de 2021.

Foi também publicado em fórum próprio dos trabalhadores uma profunda indignação dos mesmos trabalhadores que dizem basta ao Ricardismo De Abreu.

“CHEGA DE NEPOTISMO, DE CABRITISMO, DE EXCLUSÃO SOCIAL RACIAL, O PAÍS È NOSSO, DE TODOS OS ANGOLANOS, INDEPENDENTEMENTE, DA RAÇA OU COR PARTIDÁRIA, À TAAG É DOS ANGOLANOS, CAMARADA , SR PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JOÃO LOURENÇO, O SR. TÊM UM MAU MINISTRO, E UM PÉSSIMO SERVIDOR PÚBLICO, PARA ALÉM DE MALANDRO, MARIMBONDO, CARANGUEJO, NEPOTISTA, INTRIGUISTA, É UM COMISSIONEIRO NATO , DESDE QUE FOI DIRETOR COMERCIAL DO BANCO BAI, ARRANJOU

, À MELHOR FORMA DE GANHAR DINHEIRO , OFICIAL E LEGALMENTE, COM O BENEPLÁCITO DO CHEFE DO GOVERNO, UTILIZANDO, À SUA ESTRATÉGIA MUITO ANTIGA, QUE É À CONTRATAÇÃO DE EXPATRIADOS E CONSULTORES, TIRANDO VANTAGENS FINANCEIRAS, COM OS RESPECTIVOS CONTRATOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS.

SR PRESIDENTE, ALERTAMOS, DESDE JA O SR , QUE NÃO IREMOS ADMITIR TAMANHA HUMILHAÇÃO, SOMOS ANGOLANOS E ANGOLA É NOSSA, TEMOS QUADROS TÉCNICOS CAPAZES.

PORQUE QUE SR PRESIDENTE DA REPÚBLICA NÃO CONTRATA , UMA EQUIPA DE MINISTROS EXPATRIADOS, TALVEZ AÍ ESTEJA O PROBLEMA E NÃO NAS INSTITUIÇÕES”.

PUB