Mfuka Muzemba lança “Esperança” seu novo partido político

O político e antigo secretário-geral da JURA, Nfuca Muzemba, deu entrada, esta quinta-feira, no Tribunal Constitucional, do processo para a legalização da Comissão Instaladora da formação política “Esperança”.

DR

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Nfuca Muzembe, que deu a conhecer o facto em conferência de imprensa, referiu que a nova formação política caracteriza-se como sendo de centro-esquerda, em termos ideológicos, por pretende unir os pontos positivos de um e de outro sistema político.

O jovem político angolano, que recentemente se desvinculou da UNITA, partido onde militou durante vários anos, tendo dirigido o seu braço juvenil, acaba de lançar a sua força política, denominada esperança.

Adianta que o “Esperança”, cujas bases estão já criadas ao nível de todo o país, não pretende socorrer-se do Movimento de Estudantes de Angola (MEA), como muito se quer fazer crer.

De igual modo, Nfuca Muzemba negou que esteja a receber apoios de forças políticas ou entidades, acrescentando que os indivíduos que compõem o “Esperança” já deram mostra da sua capacidade de trabalho para a concretização de grandes desafios.

No entanto, ressaltou que, apesar de estar em fase de criação, a possibilidade do surgimento de uma nova força política tem gerado muita agitação no xadrez nacional, o que, em seu entender, é positivo.

Esta nova força, argumenta, visa projectar a alternância, que resultará numa grande mudança para o país, bem como a sua projecção para o futuro.

Neste contexto, o coordenador do “Esperança” referiu que, em 2022, a participação desta força política no processo eleitoral será uma certeza.

Por este facto, considera que esta será a terceira via, pelo facto de as formações políticas que lutaram pela independência terem já dado tudo o que tinham para dar.

Entre os desafios, elencou sectores como o da saúde, educação, emprego, reforço da democracia e combate à corrupção, como elementos fundamentais desta formação política em criação.

De acordo com Mfuka Muzemba, a nova força política de ideologia política de centro e esquerda, prevê dar uma nova dinâmica na arena política angolana onde dois partidos políticos dominam, fazendo menção clara do MPLA e da UNITA.

“Mas esse tempo acabou”, disse Mfuka Muzemba, garantindo que o projecto político Esperança ora criado vem tirar esse protagonismo político a esses dois partidos políticos.

Entretanto, depois de já ter dado entrada de todo o expediente ao Tribunal Constitucional para a sua legalização, Mfuka Muzemba garante que tem ideias concretas para tirar o País da letargia em que se encontra, sendo que a sua geração não pode mais falhar.

Tal como em todas as frentes, Mfuka Muzemba que já dirigiu o Movimento dos Estudantes Angolanos (MEA), prefere não avançar os nomes dos companheiros que o acompanham garantindo que foi escolhido pelo grupo por ser o rosto mais visível, pois, além de Luanda, o Esperança já tem núcleos noutras províncias do País.

“A nossa participação da festa politica do País, as eleições gerais vai ser uma realidade”, garantiu o jovem político, sublinhando que tem esperança que o Tribunal Constitucional dará aval positivo a legalização do partido Esperança.

PUB