Luther Rescova internado por covid-19 em Luanda

Circulam informações que Sérgio Luther Rescova se encontra em estado crítico, mas a receber assistência médica medicamentosa, isto, depois de ter tido paragens respiratórias.

DR

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O governador da província do Uíge, Sérgio Luther Rescova Joaquim, deu entrada, no sábado, 03, na Clínica Girassol, em Luanda, depois de ter testado positivo a covid-19.

Segundo a fonte do Repórter Angola, antes de ser evacuado na capital do país, o número um do Uíge teve várias paragens cardíacas e tão logo que a informação chegou ao Presidente da República, João Lourenço, este orientou a sua busca.

Circulam informações que Sérgio Luther Rescova se encontra em estado crítico, mas a receber assistência médica medicamentosa, isto, depois de ter tido paragens respiratórias.

Este portal apurou que a evacuação de emergência do governador provincial à Luanda, deveu-se por falta de médicos especializados e uma unidade de cuidados intensivos para o efeito naquela província.

Desde o início da pandemia estiveram igualmente infectados o antigo governador do Uíge, Pinda Simão, o general Pedro Neto, o ministro do Interior, Eugénio Laborinho, ex-ministro dos Transportes, Augusto Tomás, familiares próximo do Presidente da República (sua irmã e filha) e alguns membros do Bureau Político do MPLA.

O Chefe da Casa de Segurança da Presidência, Pedro Sebastião, também viu-se forçado a observar quarenta domiciliar por ter viajado ao Zaire com uma prima que testou positivo para covid-19.

Os últimos dados apresentados pela Comissão criada para efeito apontam que 220 recuperados, três óbitos e 159 novas infecções é balanço registado, até às 19 horas deste sábado, pelas autoridades sanitárias angolanas.

Os 159 novos doentes estão na faixa etária de um a 67 anos de idade, sendo 103 do sexo masculino e 56 do sexo feminino. 152 casos foram registados na província do Luanda (Viana, Belas, Maianga, Talatona e Cacuaco), quatro em Cabinda, dois em Benguela e um na província do Zaire.

Já os três óbitos são de dois angolanos e um cidadão de nacionalidade portuguesa, todos do sexo masculino. As equipas sanitárias controlam 575 pessoas nos centros de quarentena institucionais e registaram 67 altas, sendo 25 em Luanda e 42 na província do Bié.

Encontram-se sob vigilância epidemiológica 3.758 pessoas. A Equipa de Saúde Mental e Intervenção Psico-social atendeu 182 pessoas, sendo 83 utentes, 99 técnicos de saúde e também 60 famílias de utentes.

O quadro epidemiológico em Angola regista 5.370 casos positivos, com 192 óbitos, 2.435 recuperados e 2.743 activos.

Dos activos, 15 são críticos, 13 graves, 59 moderados, 140 leves e 2.516 assintomáticos.

 

PUB