Joel Leonardo e Augusto Tomás com Covid-19 compartilham a mesma sala hospitalar

Notícias postas a circular nas últimas horas revelam que, o Juiz Presidente do Tribunal Supremo (TS) e do Conselho Superior da Magistratura Judicial (CSMJ), Joel Leonardo, testou positivo para a Covid-19 e encontra-se internado.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Considerado como um criminoso emprestado à Justiça, malabarista quanto baste, manipulador, mentiroso, entre outros, é bastante contestado entre os magistrados e demais funcionários do sistema de Justiça no país.
Desde a sua ascensão à liderança do TS e, consequentemente, do CSMJ, o seu mandato tem sido marcado por excessivas polemicas, protagonizando vários escândalos, usando e abusando do poder descaradamente, bem como não se coibe de expor as suas debilidades técnicas em direito, como ficou provado no caso do antigo ministro dos Transportes, Augusto Tomás, em que os demais colegas contestaram a sua actuação.
Recorde-se que Augusto Tomás, antigo ministro dos Transportes, foi condenado a 14 anos de prisão, num julgamento considerado algo polémico, alegadamente, por ter favorecido uns e penalizado outros.
Entretanto, agora, por ironia do destino, também Augusto Tomás foi infectado pela Covid-19 e, neste momento, encontra-se internado no mesmo hospital com o seu “verdugo” e compartilham a mesma sala.
Apontado como arrogante e exibicionista, Joel Leonardo está a dividir o mesmo espaço clínico, na luta pela vida, com a pessoa que, mal ou bem, condenou, pois ambos estão infectados pela Covid-19.
Segundo analistas, o destino dá-nos sinais bastantes para o nosso crescimento. O poder é relativo, pelo que não é bom abusar-se dele, porque o mau uso do poder pode resultar em posterior humilhação.
Quem tem poder deve ser humilde nas suas funções para que não sofra vergonha pelo facto de não ter condição psicológica de coabitar com quem algum dia se humilhou.
Afinal o poder tem limites e afinal todos são fracos perante o inigma que é a vida em si. Imagine-se agora o arrogante juiz Joel Leonardo a coabitar no mesmo espaço com o por si condenado Augusto Tomás.
A lição que fica é que deve-se tratar bem os nossos semelhantes, mesmo quando alguém esteja errado e não exacerbarmos na emoção para demonstrar que se é melhor, mais importante e puro, quando afinal somos todos mortais e passíveis de errar.
Que Augusto Tomás se tenha arrependido dos seus erros e saiba perdoar o seu verdugo e que Deus os ajude a recuperarem da Covid-19, porque o Senhor quer amor entre todos.
Aos agentes da autoridade, operadores da justiça, dos hospitais e todos os demais cidadãos, que esta prova do destino sirva como uma lição de vida. A pessoa que se humilha, pode ser ela, ou um seu filho ou filha a valer-te amanhã quando precisares ou ode ser o seu médico faltarem as forças do poder temporal neste mundo!

PUB