Isabel Dos Santos não será detida em Luanda por estar de Luto diz fonte oficial do Governo

Fontes próximas a empresaria negaram que Isabel Dos Santos marcasse presença em Luanda, onde estão a decorrer as "Homenagens de cerimónia fúnebre" ao marido e empresário congolês Sindika Dokolo, que morreu a 29 de Outubro em Dubai, quando praticava mergulho no Dubai. Pós cerimónias fúnebres ocorrem simultaneamente em Londres, Luanda e Kinshasa. Fonte do Governo disse que mesmo que viesse não seria detida, como se propaga porque Felix Tshissekedi interviu com João Lourenço.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Uma fonte do Palácio Presidencial angolano, garantiu ao Repórter Angola esta terça-feira, que a empresaria angolana Isabel Dos Santos poderia entrar em Angola, esta terça-feira 17, para assistir as “cerimónias fúnebres de Homenagem ao seu marido Sindika Dokolo”, sem que fosse molestada ou detida, por que o assuntou juntou os chefes de Estado da Republica Democrática do Congo, Felix Tshissekedi e o seu Homologo angolano João Manuel Gonçalves Lourenço.

“o assunto de deixar a empresaria Isabel Dos Santos assistir as homenagens do marido,  em Luanda, esteve na mesa entre os dois chefes de Estados e falaram ainda do Desporto que as duas seleções se enfrentam esta terça-feira” avançou a fonte da presidência angolana.

Felix Tshissekedi foi amigo e companheiro de luta do colecionador de artes, Sindika Dokolo desde tenra idade, e passaram os ultimos 20 anos juntos, contra o Governo de Joseph Kabila, nos movimentos Débout Congolais e UPDS de Etienne Tshissekedi pai do actual chefe de Estado Congolês.

As exéquias fúnebres de Sindika Dokolo ocorrem na manhã e tarde desta terça-feira (17.11) na catedral de Westminster, em Londres. Além da capital britânica, cerimónias em homenagem ao empresário acontecem simultaneamente em Luanda e Kinshasa.

Na sua página, Isabel dos Santos no Facebook informa que, “como nem todos podem estar presentes por causa da pandemia” a Zap TV irá transmitir o evento fúnebre para Angola, Moçambique, Portugal e Europa. Sem no entanto a mesma confirmar presença em Luanda

A empresária angolana, disse que a transmissão ocorre porque Dokolo foi um dos fundadores e membro dos órgãos sociais da Zap Viva, “sendo este um tributo que os trabalhadores e colaboradores pretendem prestar em honra desta figura tão querida”. A família também disponibilizou um link no YouTube para que se acompanhe a missa.

A página da viúva de Dokolo também se refere a ele como um “empresário, filantropo, defensor de direitos civis e colecionador de arte. A Fundação Sindika Dokolo de arte contemporânea e africana distinguiu-se pelo seu trabalho de identificação e recuperação de obras de arte levadas de museus africanos”.

Sindika Dokolo morreu no Dubai no dia 29 de outubro, aos 48 anos, quando praticava uma forma de mergulho localmente conhecida como ‘al-hivari’, que não utiliza equipamento de respiração e utiliza exclusivamente o ar existente nos pulmões.

PUB