Governo entrega hoje Ossadas de Salupeto Pena e Alicerces Mango às famílias, Antigos dirigentes da UNITA morreram há 29 anos

O Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos procedeu à entrega, esta segunda-feira, 15, das ossadas dos antigos dirigentes da UNITA Elias Salupeto Pena, representante do 'Galo Negro' na Comissão Conjunta Política e Militar e sobrinho de Jonas Savimbi, e Alicerces Mango, antigo secretário-geral do partido, às famílias, no âmbito do Plano de Reconciliação das Vítimas de Conflitos, segundo uma nota do Ministério do Interior consultado pelo Reporter Angola.

DR

Reporter Angola/ NJ

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Salupeto Pena foi morto durante os confrontos pós-eleitorais de 1992 e passados 29 anos as suas ossadas vão ser entregues aos familiares.

Segundo uma nota de imprensa do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, a entrega será feita às 10:30 no Laboratório Central de Criminalística.

Segundo o comunicado, o titular do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, vai presidir ao acto, na presença do Ministro do Interior Eugênio Laborinho e da Ministra da Saúde Silvia Lutucuta.

 

“Estamos a cumprir o programa estabelecido, depois do pedido solene de desculpas e de perdão pelo Presidente da República, João Lourenço, em nome do Estado angolano. O passo seguinte é entregar os restos mortais às famílias para o enterro”, afirmou, recentemente, Francisco Queiroz.

Durante a sua intervenção, o presidente da UNITA, Isaías Samakuva avançou que  o acto tem significado bastante profundo.

“Este acto significa reconciliação e perdão, e acho que este dia é um dia muito importante na história do nosso país, e muito importante para as famílias daqueles que pereceram “, disse, acrescentando que, “é importante que actos desta natureza se repitam, e que sirvam de reflexão para os angolanos, porque é doloroso ver os angolanos desavindos e a ponto de não se identificarem como angolanos”, antes, continuou, as pessoas preferem identificar-se pela cor do seu partido e pela filiação do partido.

O também coordenador da Comissão para a Implementação do Plano de Reconciliação das Vítimas de Conflitos (CIVICOP) reconheceu a capacidade técnica do Laboratório Central de Criminalística (LCC) para a fiabilidade dos testes.

PUB