DAVID Mendes e UNITA de costas viradas, jurista disse que foi ameaçado de morte.

David Mendes, deputado independente pelo grupo parlamentar da UNITA, exige um pronunciamento da direcção do partido sobre ameaças de morte dirigidas à sua pessoa e que são atribuídas a jovens suposta- mente ligados à formação política liderada por Adalberto Costa Júnior.

Jonas Pensador

Repórter Angola VS Angola24h

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A exigência do também deputado surge na sequência da divulgação de um vídeo, de quase três minutos, no blogue “UNITA-Bruxelas”, em que surgem jovens a gritarem “David Mendes traiu a Pátria! David Mendes, vamos encontrar-te e queimar-te porque já não nos representas!”, em reacção a um comentário do deputado, no último domingo, na TV Zimbo, sobre a participação do partido numa tentativa de manifestação, na véspera.

Os jovens que proferiam as ameaças estavam defronte às instalações do Tribunal Provincial de Luanda (Palácio Dona Ana Joaquina), onde decorria o julgamento de uma centena de jovens acusados de arruaça, na referida tentativa de manifestação.

No habitual espaço “Revista da Semana”, da TV Zimbo, o deputado considerou que a participação da UNITA na tentativa de manifestação “foi um erro estratégico”.

Em declarações, ontem, ao Jornal de Angola, o jurista negou que a contestação à sua pessoa também tenha a ver com o facto de, durante a campanha para a eleição do novo presidente da UNITA, tenha apoiado um candidato que não é Adalberto Júnior.

“Não tem nada a ver com isso”, garantiu. “Aguardo, com serenidade, o pronunciamento da direcção da UNITA ao vídeo produzido pela UNITA-Bruxelas, com ameaças de morte à minha pessoa”, afirmou David Mendes, na sua conta do Facebook.

Ao Jornal de Angola, acrescentou: “dependendo do que a direcção da UNITA disser, eu farei um pronunciamento público”.

Questionado se ainda estava disponível a continuar, na próxima legislatura, como deputado da UNITA, caso volte a ser convidado, David Mendes insistiu que tudo depende do que a direcção do partido disser sobre o vídeo editado e publicado num dos seus blogues.

O advogado, membro da “Associação Mão Livres”, esclareceu, ainda, no Facebook, que quando foi convidado para comentar, no espaço “Revista da Semana”, da TV Zimbo, aceitou sem qualquer contrapartida material ou financeira, mas pretendia manter a sua independência e liberdade de expressão. “O dia em que a TV Zimbo achar oportuna a minha substituição, assim será e vou agradecer por mais uma oportunidade que tive na vida”, disse.

 

PUB