Antigo governador de Luanda Graciano Domingos nomeado no cargo de Procurador-geral Adjunto

Ex- Governador de Luanda e Director do Instituto de Formação de Administração Local IFAL, Graciano Domingos, foi empossado esta terça-feira pelo Presidente da República João Lourenço, ao cargo de Procurador geral- Adjunto.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O Presidente de Angola, João Lourenço, nomeou 12 procuradores-gerais adjuntos da República, aprovando a proposta do Conselho Superior da Magistratura do Ministério Público angolano.

Além do antigo governador da província de Luanda Graciano Francisco Domingos, foram nomeados Ana Carla Luís da Costa e Silva, Domingos Joaquim, Eduarda Passos de Carvalho Rodrigues Neto, Gilberto Mizalaque Balanga Vunguer e Hernani João de Freitas Beira Grande.

Completam a lista Kuku Elizabeth David Koxi, Lucas Ramos dos Santos, Manuel Tchalengua de Jesus Bambi, Pedro Joaquim Gola, Pedro Mendes de Carvalho e Vanda das Dores Miguel de Lima.

Antes de ser nomeado para o cargo de procurador-geral adjunto, Graciano Francisco Domingos foi exonerado do cargo de administrador executivo para a área administrativa e recursos humanos da Imprensa Nacional.

Os 12 nomes foram os escolhidos pelo Conselho Superior da Magistratura do Ministério Público de Angola, tendo sido os selecionados de acordo com a lista datada de 12 de abril assinada pelo presidente do organismo, o procurador-geral da República, Hélder Fernando Pitta Gróz.

O Presidente angolano enalteceu esta terça-feira 27, em Luanda, o empenho da Procuradoria-Geral da República, nos últimos anos, no combate ao crime no geral, em particular “na luta contra o chamado crime de colarinho branco”.

João Lourenço, que falava na cerimónia de tomada de posse de 12 Procuradores-gerais adjuntos, nomeados na semana passada, apelou ao reforço do trabalho que vem sendo realizado até aqui, tendo em conta “o papel muito importante” que o Ministério Público, além dos tribunais, desempenha na administração da Justiça.

“A PGR nos últimos anos demonstrou estar empenhada na luta contra o crime no geral, mas muito em particular na luta contra o chamado crime de colarinho branco. Nós esperamos que venham a reforçar o trabalho que vem sendo realizado até aqui, uma vez que, além dos tribunais, o Ministério Público joga um papel muito importante na administração da Justiça”, disse.

O Presidente angolano realçou a importância do ato, no dia em que a Procuradoria-Geral da República comemora os seus 42 anos de existência, felicitando todos os magistrados do Ministério Público por ocasião da data.

Graciano Domingos enquanto Governador de Luanda, proibiu a realização de manifestações no centro da capital angolana, entre 2011 a 2012, altura que foi exonerado e despachado para o Instituto de formação profissional IFAL.

PUB