‘ADVOGADA DO DIABO’ DEFENDE TUDO E TODOS

Angola pariu uma ‘advogada do diabo’ que, por comportamento menos bom, vai detonar, a qualquer custo, uma bomba junto seu escritório.

DF

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Angola pariu uma ‘advogada do diabo’ que, por comportamento menos bom, vai detonar, a qualquer custo, uma bomba junto seu escritório.

Ela manda tudo. Mas será que só pode ser apenas ela? Ao que tudo indica, aqui não há transparência. Mas onde pára essa individua, conhecida como ‘advogada do diabo’ no País.

Segundo a enciclopédia livre, a expressão “advogado do diabo” é de origem latim (advocatus diaboli), utilizada pela Igreja Católica Romana para designar o advogado que tinha por missão apresentar provas ‘impeditivas’ da admissão de um candidato à santo ou beato.

A sua função era averiguar, vasculhar, questionar e pôr em dúvida todos os factos apresentados em favor do candidato com o único objectivo de encontrar falhas e erros.

Mas a ‘advogada do diabo’ em Angola cria processos falsos e participa de mentiras financeiras, mancomunada com a ideologia criminalística de uma advogada que recebia e continua a receber processos indecorosos e os defende como assuntos normais deixando a sociedade impávida.

Popularmente, a expressão “advogado do diabo” define o indivíduo que apresenta muitas objecções a uma determinada tese defendendo um argumento contrário ao da maioria. Neste sentido “o advogado do diabo” é um indivíduo que defende um cliente ou uma causa que moral e eticamente, e na dispensação da justiça não tem defesa e o faz com o único propósito de argumentação, prestígio pessoal e interesses financeiros.

Muitas vezes “o advogado do diabo” defende uma causa ou um ponto de vista com o qual não concorda nem acredita, mas por causa de interesses egoístas e benefícios financeiros perde o coração e vende a sua consciência à mentira, manipulação da verdade e dos factos a qualquer custo.

Intramuros, normalmente, a ‘advogada do diabo’ só defende clientes que são detentores de grandes recursos financeiros e poder político.

Como exemplo, pode ser citada a da multinacional Sonangol, uma advogada que quer ter o título e ser considerada de melhor causídica, mas no fundo não o é.

Nos últimos tempos têm surgido em Angola legiões de ‘advogados do diabo’ que, aproveitando-se da fraqueza e lentidão do sistema de justiça angolano, distorcem e destroem o conceito e valor de justiça.

‘A advogada do diabo’ já desfila a sua insaciável tenacidade pelo enriquecimento rápido desferindo golpes contra a justiça em nome do direito, não obstante os seus clientes serem corruptos e ligados a inúmeros crimes de colarinho branco, exploradores e violadores das leis angolanas.

A advogada do diabo defendeu e continua a defender os indivíduos que TPA apresentou na sua reportagem de pesquisa. Onde anda essa advogada? Os seus clientes são os rostos citados pela TV estatal a nossa TPA, Manuel Domingos Vicente, General Leopoldino Nascimento “Dino”, General Hélder Vieira Dias Júnior Kopelipa, Filomeno José dos Santos FSDA, Walter Filipe BNA, Veloso Sonangol e tanto outos.

As empresas que a mesma advogada defendeu na altura criação deforma fraudulenta e injusta com fundos saídos nos cofres do estado angolano, entre eles a MIRAMAR Empreendimentos limitada, Sonangol, SUNINVEST, NAMKWANG INTERNATIONAL, o documento da criação dessas empresas a SONANGOL detinha 45% a SUNINVEST detinha 40% e a Namkwang com 17% segundo a reportagem da TPA com o titulo “O BANQUETE”.

PUB