Dinho Chingunji “desde 1975 não acreditamos no modelo de políticas implementados pelo MPLA”

O partido Njango acredita que chegou a hora de alternância política em Angola quando faltam poucos dias para as eleições gerais marcado para 24 de Agosto

DR

Benguela7

Dinho Chingunji, presidente do partido Njango, na apresentação do seu partido nas terras das acaçias rubras, Benguela, durante uma conferência de Imprensa, na ultima segunda-feira 25 de Julho, depois de ter passado pela província do Huambo, destacou os objectivos do programa do seu partido para eleições marcadas para 24 de Agosto proximo.
Dentre as políticas do seu Njango, constam a resolução dos principais problemas básicos que afligem a sociedade angolana. O responsável, diz que, Njango é um centro de reuniões, onde são debatidos aspectos que afetam a sociedade.
𝗦𝘂𝗿𝗴𝗶𝗺𝗲𝗻𝘁𝗼 𝗱𝗼 𝘀𝗲𝘂 𝗽𝗮𝗿𝘁𝗶𝗱𝗼
Dinho Chingunji, numa conferência de imprensa realizada pelo seu partido na província de Benguela, realça que o país precisa de um partido novo. O responsável, diz que, o seu partido vai apostar no talento da juventude angolana independentemente da ligação partidária.
‘’O país tem vivido alguma tensão política, quando nos deixamos a discusão entre os dois movimentos (MPLA e UNITA), por isso o país precisa de um partido novo, que apenas venha com soluções e trabalhar do que estamos a viver agora neste momento.Porque a disputa dos grandes partidos que são MPLA e a UNITA, não vai terminar hoje, e Angola não pode esperar. A idiologia é que atrai as pessoas que enmtram ao nosso partido, pois escolhemos pessoas baseadas em questões regionais, tribais, nem de classes e nem de amiguismo, as pessoas pegam naquilo que a idiologia diz e se estiverem de acordo com essas idiologias, então fazem um ingresso no nosso partido. Nós precisamos de todo talento que Angola tem, para que finalmente consigamos resolver o sonho de todos angolanos, isso implica apostar no instrumento que é adaptado a resolução, do que em questões que depois envenenam o sistema do desenvolvimento sócio e comum”.
𝗣𝗮𝗿𝘁𝗶𝗱𝗼𝘀 𝗾𝘂𝗲 𝗹𝘂𝘁𝗮𝗿𝗮𝗺 𝗽𝗲𝗹𝗮 𝗹𝗶𝗯𝗲𝗿𝘁𝗮çã𝗼 𝗱𝗲 𝗔𝗻𝗴𝗼𝗹𝗮
MPLA, UNITA e FNLA, apesar de lutarem pela independência do país, também levaram consigo alguns males que constribuiram para o fraco desenvolvimento do país diz Dinho Chingunji, presidente do Njango. O partido Njango, pretende conduzir os destinos do país nos proximos 5 anos. O partido quer, irradicar a fome e o desemprego, educação e saúde são prioridades, disse.
‘’Esses partidos, embora lutarem pela independencia, também levaram consigo alguns passivos que não são adequados para um partido político. Estamos a dizer que, primeiro é o compromisso com o povo, onde nos temos de ser o servidor do povo invés de excelência. O desafio que nós aceitamos é o combate a fome, nós não podemos adiar a resolução desse problema que mata milhares de pessoas por dia. Temos que olhar também no sistema de saúde, nos deveriamos ter priorizados os programas para atacar a malária, da mesma forma que estamos atacar o covid-19. Nós não devemos ter políticos associados em más práticas, que insistimos que esses políticos sejam referências e vips do povo’’.
O antigo militante de proa da UNITA, disse ainda que o seu partido vai atacar a corrupcão, quem entrar com esse objectivo de subsair na vida, “nós somos contra esse hábito, nos outros é uma coisa norml, para o partido Njango não é. Isso já é uma grande diferença.
”O nosso Partido tem regras, e todo aquele que for encomntrado a praticar aquilo, que não valoriza a nossa sociedade ou mancha a sociedade, seja quem for ou essa pessoa demite-se ou para mesmo de fazer nossas atividades no momento. Neputismo está dentro dos movimentos que lutaram pela independencia, isso que estou a dizer são movimentos não apenas um partido político, são partidos que dominam a política esse tempo todo. Nós não podemos trabalhar assim, a pessoas que estão excluidas nalguns partidos políticos, por não serem filhos de um dirigente praticamente são barrados por esses. O partido acredita no talento da juventude angolana”, concluiu.

PUB