Joe Biden vence eleição dramática nos EUA

Democrata supera marca de 270 votos no Colégio Eleitoral e abre caminho para fim da era Trump. Mas vitória não encerra novela eleitoral, e presidente republicano já disse que pretende contestar resultado.

com AFP e DW

DW

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Após uma das campanhas eleitorais mais tensas e tumultuadas das últimas décadas, o democrata Joe Biden venceu a disputa pelo cargo mais poderoso do mundo. Neste sábado (07/11), ele superou a marca de 270 votos no Colégio Eleitoral dos Estados Unidos, após conquistar a vitória na Pensilvânia, segundo projeções da imprensa americana.

Até o momento, Biden recebeu mais de 74 milhões de votos, se tornando o candidato à Presidência mais votado da história dos EUA. Ele já acumula 279 delegados no Colégio Eleitoral, segundo projeções. Trump, por sua vez havia recebido pouco mais de 70 milhões de votos até o fim da tarde deste sábado, acumulando 214 delegados.

“América, estou honrado de ter sido escolhido para liderar nosso grande país. O trabalho à nossa frente será duro, mas eu prometo: serei um presidente para todos os americanos, tenham vocês votado em mim ou não”, afirmou Biden no Twitter.

A nova vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, disse: “Esta eleição não se resume a Joe Biden e eu. É sobre a alma da América e nossa disposição de lutar por ela. Temos muito trabalho pela frente. Vamos começar”.

Com o resultado, Donald Trump se tornou o primeiro presidente americano no cargo a perder a reeleição desde George H. Bush, em 1992.

Trump se recusou a reconhecer a vitória do adversário e afirmou, num comunicado, que sua campanha está abrindo um processo legal “para garantir que as leis eleitorais sejam completamente respeitadas e que o vencedor legítimo seja empossado”.

O resultado é divulgado num momento particularmente tenso nos EUA, que segue como a nação mais atingida do mundo pela pandemia de covid-19. Além disso, há semanas Trump vem tentando minar a confiança no processo eleitoral, no que vem sendo encarado como a maior ofensiva contra a democracia americana em décadas. Há ainda o temor de que o resultado possa desencadear violência nos próximos dias.

Pouco depois do anúncio por várias redes e jornais dos EUA, uma sucessão de líderes estrangeiros parabenizou o democrata pela vitória, deixando claro que não duvidavam da legitimidade do resultado. A chanceler federal Angela Merkel, por exemplo, disse: “Parabéns! Os cidadãos americanos decidiram. Joe Biden será o 46º Presidente dos Estados Unidos da América”

PUB