Vão ser sancionados os militares franceses no activo que assinaram um artigo de opinião na revista “Valeurs Actuelles” a denunciar a “desintegração” do país devido ao islamismo e à criminalidade nos subúrbios. Entretanto, uma sondagem hoje publicada diz que 58% dos franceses apoia os signatários do artigo.

Cerca de uma centena de altas patentes militares, entre eles 20 generais, assinaram uma crónica a criticar a acção do Governo face à “desintegração” da França devido ao islamismo e à criminalidade nos subúrbios.

No texto, datado de 21 de Abril, os militares pedem ao Presidente Emmanuel Macron que defenda o “patriotismo”.

Pelo menos 18 dos signatários do artigo estão actualmente no activo e vão ser sancionados, segundo François Lecointre, chefe do Estado Maior das Forças Armadas. Quanto aos mais graduados e já na reforma, Lecointre afirma que poderão ser exonerados.

Este artigo de opinião foi apoiado pela líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, que sublinha que “a situação é tão grave que foi preciso que as Forças Armadas” se pronunciassem.

O Governo acusa Marine Le Pen de aproveitamento político, com a ministra da Defesa, Florence Parly, a considerar a acção dos militares de “inaceitável” e “irresponsável”.

Entretanto, uma sondagem hoje publicada dá conta que 58% dos franceses apoia os militares em causa.