França, Alemanha, Itália e Roménia querem que Ucrânia tenha estatuto de candidato oficial “imediato” à UE

Os líderes francês, alemão, italiano e romeno querem que seja concedido à Ucrânia o estatuto de candidato oficial “imediato” à adesão à União Europeia (UE), foi hoje anunciado.

DR

Madrefire

Madrefire

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

A posição foi anunciada esta quinta-feira 16, após um encontro, em Kiev, dos quatros líderes com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

“Apoiamos os quatros o estatuto de candidato imediato à adesão”, disse hoje o presidente francês, Emmanuel Macron, em conferência de imprensa, acrescentando que “este estatuto será acompanhado por um guia e irá ter em conta a situação nos Balcãs e na vizinhança, em particular na Moldávia”.

Também o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, afirmou que o seu país “quer a Ucrânia na União Europeia”.

“Hoje, a mensagem mais importante da nossa visita é que Itália quer a Ucrânia na União Europeia”, disse.

Na mesma linha, o chanceler alemão, Olaf Scholz, afirmou que “a Alemanha apoia uma decisão positiva a favor da Ucrânia”, assim como à Moldávia.

“A Ucrânia pertence à família europeia”, acrescentou.

PUB