Sodiam anuncia leilão de diamantes brutos de 15 a 29 deste mês

A Sodiam, estatal angolana de comercialização de diamantes, vai realizar um leilão de seis pedras especiais de diamantes brutos, das quais duas cor-de-rosa, estimadas num valor acima dos 20 milhões de dólares (17,4 milhões de euros).

DR

Reporter Angola@Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

De acordo com uma nota da Sodiam – Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola enviada hoje à Lusa, o leilão inclui ainda vários cestos de pedras especiais da Sociedade Mineira do Catoca, a quarta maior mina do mundo explorada a céu aberto e a maior empresa no subsetor diamantífero do país, responsável pela extração de mais de 75% dos diamantes angolanos.

 

O calendário de visualização das parcelas em leilão vai de 15 a 29 deste mês, nos escritórios sede da Sodiam, em Luanda, terminando as licitações em 30 de novembro às 11:00 locais.

 

“Sendo que as licitações serão feitas exclusivamente ‘online’, através da plataforma, todas as empresas não registadas que pretendam participar no leilão são convidadas a fazê-lo através do ‘link’ www.sodiamsales.com”, informa ainda a nota, realçando que um pacote detalhado de participação será fornecido aos participantes.

 

Uma das exigências para participar do leilão, indica a Sodiam, é a apresentação por todos os participantes do Certificado de Vacina Covid-19, para terem acesso às instalações do edifício, bem como apresentar teste negativo PCR, com um mínimo de 72 horas antes de entrar em Angola.

 

A Sodiam EP, fundada em 1999, é a empresa estatal responsável pela comercialização e exportação de todos os diamantes produzidos em Angola.

 

As produções são provenientes de 12 minas, kimberlíticas e aluvionares, e compreendem uma vasta gama de qualidades em termos de peso, modelo, pureza e cor.

 

Em 2020, Angola exportou 7,7 milhões de quilates brutos, avaliados em 1,013 mil milhões de dólares (883,5 milhões de euros), correspondendo a um preço médio de 130,9 dólares (114,1 euros), posicionando Angola atualmente como o terceiro maior produtor mundial em termos de valor.

PUB