Ministro da Economia pede aos jovens manifestantes irem para o campo trabalhar

O ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, deixou um “recado” para os jovens que protestaram no último fim-de-semana por causa da falta de emprego, indicando o agronegócio como solução.

Jonas Pensador

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Sergio Santo

Sergio Santos disse que os jovens  “invés de protestar” começou a produzir tomates. “Temos muitos jovens a protestar dentro do seu direito de necessidade de emprego. Um recado para os jovens: o agronegócio é uma área em que podemos ter muitas pessoas, empregos e pessoas
bem-sucedidas. Não é verdade que quem se dedica à agricultura não seja bem sucedido”.
Sérgio Santos participou na assinatura de uma parceria com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO). O projecto, denominado Agroprodesi, tem por objectivo promover a concentração económica e a participação da academia no desenvolvimento da agricultura.
Continuando com o exemplo de Benguela, o ministro revelou que o jovem, em seis meses, conseguiu seis milhões de kwanzas por causa de duas colheitas de tomate.

Sérgio Santos pediu aos jovens para abrirem os olhos e não fazerem “confusão”, mas sim agricultura. E diz que a questão dos transportes que tanto se coloca na agricultura para o escoamento com o jovem de Benguela não foi questão por causa da procura do tomate. “Ele identificou um nicho de mercado e está a fazer a sua vida. Não está a incomodar os pais, não está a incomodar as autoridades, não está a partir carros e
nem incendeia pneus na rua”.

O ministro garante que, com o projecto lançado hoje, o Governo pretende atrair muitos jovens que poderão contar, a partir de Novembro, com o programa Agro-Prodesi. Sérgio Santos pediu ainda aos jovens para não reclamarem e que juntos podiam se organizar e ver oportunidades “concretas” para se começar a produzir em Angola meios de subsistência.

PUB