A Cabinda Gulf Oil Company Limited vai explorar petróleo em Cabinda por mais 20 anos

A Cabinda Gulf Oil Company Limited (CABGOC) renovou, recentemente, o contrato de concessão da extensão da exploração e produção do Bloco 0, situado ao longo da costa da província de Cabinda, por um período de mais de 20 anos.

DF

Repórter Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O acordo, assinado com a Agência Nacional de Petróleo e Gás (ANPG), mantém a companhia filial da Chevron em Angola com uma participação de 39,2%, refere uma nota distribuída à imprensa.

O comunicado da ANPG recorda serem parte do grupo empreiteiro a Sonangol, E.P, com uma participação de 41%; a Total, com 10%; e a Eni Angola, com 9,8%.

Segundo o presidente em Exercício da referida agência, Belarmino Chitangueleca, trata-se de um “acordo importante, uma vez que significa a continuidade e a confiança de um parceiro que contribui para a afirmação do país como um grande produtor de petróleo em África”.

“A extensão desta Concessão é pronúncio para contrariar o declínio da produção e mantermos o foco no seu crescimento a médio e longo prazos”, cita o comunicado.

Já o director-geral da Unidade Estratégica de Negócios da África Austral da Chevron, Billy Lacobie, manifestou satisfação pela oportunidade de manter a parceria com o Governo de Angola e com as associadas do Bloco 0.

Billy Lacobie sublinhou que a renovação possibilitará continuar a usar as competências técnicas e profissionais nas áreas da exploração e da produção em Angola, as quais são mundialmente reconhecidas.

“Orgulhamo-nos de ter desempenhado um papel significativo no desenvolvimento da indústria petrolífera e do gás em Angola, país onde trabalhamos há 60 anos a esta parte (….)”, expressou o executivo.

O responsável acrescentou ter “o firme objectivo de continuar a contribuir para o fornecimento de energia fiável, acessível e cada vez mais limpa aos angolanos, que permita o progresso da humanidade e impulsione Angola para um nível avançado de progresso e desenvolvimento”.

Para além do Bloco 0, a CABGOC opera e detém uma participação de 31% num contrato de partilha de produção (CPS) no Bloco 14, em águas profundas, localizado a Oeste do Bloco 0.

De acordo com a nota da Agência Nacional de Petróleo e Gás, em 2020 a produção média diária líquida da CABGOC foi de 89,000 barris de líquidos e de 340 milhões de pés cúbicos de gás natural.

PUB