O acordo, que dá continuidade a um outro existente desde 2014, foi rubricado pela presidente da Federação Angolana da modalidade, Elsa Pitra, e o seu homólogo Luso, Luís Arrais.

As formações serão ministradas por especialistas portugueses em Angola, para permitir a participação de maior número de quadros.

Durante a cerimónia, a presidente da Federação Angolana de Ginástica, Elsa Pitra, afirmou que Portugal tem uma vasta experiência no domínio da modalidade a nível da Europa e do mundo, por isso a opção.

Sobre a ginástica no país, reconhece dificuldades a nível de juízes e técnicos em função do exigido pela Federação Internacional.

Defende atribuição de bolsas de estudos académicas e desportivas para praticantes, além da necessidade de maior investimento nas infra-estruturas.

Já o presidente da Federação de Ginástica de Portugal, Luís Arrais, afirmou ser Angola um parceiro fantástico pelos laços lusófonos, da língua e pela experiência da líder federativa.

O Embai xador de Angola em Portugal, Carlos Alberto Fonseca, precisou que o acordo é de extrema importância, por permitir que técnicos e atletas angolanos adquiram mais conhecimentos.

Na cerimónia, estiveram presentes diplomatas angolanos acreditados em Portugal, bem como técnicos da Federação Portuguesa de Ginástica.