Vacinação contra Ébola começou no Congo Democrático RDC

A vacinação para travar o ressurgimento do Ébola na República Democrática do Congo (RDC) começou esta quarta-feira 13, depois de ter sido confirmado um novo caso, após cinco meses sem a doença, anunciou a Organização Mundial de Saúde (OMS).

DR

Com AFP

Com AFP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

O mais recente surto da doença no país, o 12.º, tinha sido declarado como terminado em Maio, mas na sexta-feira foi detectado um novo caso.

 

As pessoas em alto risco, incluindo contactos do caso confirmado e trabalhadores da linha da frente, serão os primeiros a receber a vacina, de acordo com uma declaração da OMS.

 

Cerca de 1.000 doses da vacina experimental aprovada em 2019 nos Estados Unidos da América e na União Europeia foram enviadas da capital, Kinshasa, para a cidade de Goma e outras 200 doses para Beni, perto da área onde o caso foi detectado.

 

Além disso, mais de 12 mil doses da vacina serão armazenadas na capital do país, à espera de serem administradas, se necessário.

 

Segundo o ministro da Saúde congolês, Jean-Jacques Mbungani, o caso confirmado em 08 de Outubro foi de “uma criança de 3 anos do sexo masculino que foi hospitalizada e morreu a 06 de Outubro”, depois de três membros da sua família terem morrido, em Setembro passado, apresentando sintomas semelhantes aos de Ébola.

 

Além da campanha de imunização, estão a ser enviadas equipas para testar a população e já foram identificados 170 contactos cujo estado de saúde está a ser monitorizado.

 

Segundo a OMS, “não é raro que casos esporádicos ocorram após um surto importante, mas é demasiado cedo para dizer se este caso está ligado a surtos anteriores”.

PUB