Moçambique: aprovada a prorrogação da missão militar em Cabo Delgado pela SADC

Reunidos esta quarta-feira, os países da SADC aprovaram a prorrogação do mandato da missão militar da organização em Moçambique, sem detalhar o prazo da missão. Angola vai assumir próxima presidência da organização.

DR

DW África

DW África

Os países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) aprovaram, esta quarta-feira (17.08), a prorrogação do mandato da missão militar da organização em Cabo Delgado, norte de Moçambique.

Segundo o comunicado final da 42.ª cimeira ordinária de chefes de Estado e de Governo da SADC, que decorreu hoje na capital da República Democrática do Congo, foi analisado o “relatório sobre a situação de segurança na província de Cabo Delgado”.

A organização “aprovou a prorrogação do mandato da Missão da SADC em Moçambique (SAMIM) e dos relevantes processos conexos”, adianta a nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores angolano.

O comunicado não indica o prazo de prorrogação desta missão.

A cimeira saudou os Países Contribuintes com Efetivos (PCC) para a SAMIM pela solidariedade e sacrifício para apoiar a missão e endereçou condolências aos governos e famílias dos nove efetivos da SAMIM que perderam a vida no teatro das operações”, acrescenta a nota.

Angola assume presidência
Na mesma ocasião, Angola foi eleita para assumir a próxima presidência da organização regional.

No comunicado da 42.ª cimeira ordinária de chefes de Estado e de Governo da África Austral lê-se ainda que os líderes tomaram “nota dos preparativos em curso” em Angola e no Lesoto para a realização de eleições gerais e legislativas no dia 24 de agosto de 2022 e no dia 7 de outubro, respetivamente, e fizeram “votos para a realização de eleições pacíficas

Segundo o comunicado final da 42.ª cimeira ordinária de chefes de Estado e de Governo da SADC, que decorreu hoje na capital da República Democrática do Congo, foi analisado o “relatório sobre a situação de segurança na província de Cabo Delgado”.

A organização “aprovou a prorrogação do mandato da Missão da SADC em Moçambique (SAMIM) e dos relevantes processos conexos”, adianta a nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores angolano.

O comunicado não indica o prazo de prorrogação desta missão.

Angola assume presidência
Na mesma ocasião, Angola foi eleita para assumir a próxima presidência da organização regional.

“A cimeira saudou a República da Zâmbia pela realização bem-sucedida de eleições gerais em agosto de 2021 e a subsequente transição pacífica do poder”, refere a mesma nota.

Por outro lado, a organização regional “manifestou preocupação e solidariedade em relação aos últimos eventos ocorridos no leste da RDCongo em matéria de segurança, e mandatou o presidente do comité ministerial do órgão para, coadjuvado pela troika do órgão e os Países Contribuintes com Tropas para a FIB (TCC), manter contactos com o secretário-geral da ONU à margem da assembleia geral da ONU em Setembro de 2022 para explorar todas as formas de apoiar os esforços visando melhorar a situação de segurança”.

Sobre o Essuatíni, a cimeira condenou “os atos de violência” e vai preparar uma cimeira extraordinária da troika mais o reino do Essuatíni, “em data a ser determinada, com o objetivo de buscar uma solução pacífica e duradoura para os desafios de segurança que o país enfrenta”.

PUB