Cabo Verde: Eleições autárquicas com regras de distanciamento

Trezentos e trinta e sete mil e oitenta e três eleitores, nacionais e estrangeiros escolhem hoje os autarcas dos 22 municípios em Cabo Verde. Nas autárquicas deste domingo (25.10), o maior partido da oposição conquistou oito câmaras municipais, mais seis do que em 2016. Já o MpD perdeu a liderança em cinco das 18 câmaras que detinha, incluindo a da capital.

DR

RFI

RFI

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Foi a grande surpresa das oitavas eleições autárquicas cabo-verdianas realizadas este domingo (25.10): a derrota do partido no poder Movimento para a Democracia (MpD) e do presidente da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos, que se mostrou desapontado: “Não era o resultado que estávamos à espera, mas temos ainda até amanhã para ver o que aconteceu com calma, esperar pelo apuramento geral, mas em qualquer das circunstâncias nós aceitamos os resultados, a democracia é assim mesmo quando o povo fala tem sempre razão”, afirmou.

Óscar Santos vai ser substituído na Câmara Municipal da Praia por Francisco Carvalho, quadro do Ministério dos Negócios Estrangeiros que já foi Diretor Geral das Comunidades.

De acordo com a Comissão Nacional de Eleições, a maioria das 864 mesas de voto abriu a horas, ou seja, às sete horas da manhã.

Falta de material de apoio ou ausência de um dos elementos que compõem a mesa foram os motivos para algumas assembleias abrirem com ligeiro atraso.

Apesar das regras impostas dentro das mesas de assembleia de voto para evitar a propagação da Covid-19, registaram-se aglomerações de pessoas junto das escolas onde decorre o processo de votação.

Alguns eleitores abordados pela RFI dizem que votaram normalmente, sem medo da Covid-19, outros tiveram algum receio de contaminação.

Nas primeiras horas do dia a afluência às urnas ainda era fraca, um pouco por todo o país. Foi o que a RFI constatou em várias assembleias de voto na Ilha de São Vicente.

Nas eleições autárquicas de hoje concorrem ao mandato de quatro anos 65 listas às Assembleias Municipais e 64 às Câmaras Municipais, das quais 53 de partidos políticos (MPD, PAICV, UCID e PP) e 12 de grupos de cidadãos.

“É uma vitória de todos os praienses”

Reagindo aos resultados das eleições, o novo presidente da Câmara Municipal da Praia afirmou apenas que “esta é uma vitória da Praia e de todos os praienses”. Francisco Carvalho falava ao lado de Janira Hopffer Almada, a líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), que conquistou oito dos 22 municípios, ganhando assim novo fôlego para as eleições legislativas de 2021.

Janira Hopffer Almada não escondeu a satisfação: “Quero realçar a importância desta vitória em oito câmaras municipais – entre as quais na capital do país, na Câmara de São Filipe, que sempre foi muito simbólica para o PAICV, e na Câmara da Boa Vista pela sua dimensão do ponto de vista turístico e do impacto que tem. Mas também não posso deixar de realçar as câmaras do Tarrafal e de São Domingos (ilha de Santiago), que nunca foram governadas pelo PAICV, e a nossa vitória em Ribeira Grande de Santiago pela primeira vez desde que estão a ser feitas eleições”, disse Janira Hopffer Almada, realçando ainda o facto “do MpD – ter perdido a maioria absoluta em duas câmaras importantes: a Câmara Municipal de São Vicente e a de Santa Catarina de Santiago”.

O PAICV manteve ainda as câmaras municipais de Santa Cruz, na ilha de Santiago, e Mosteiros no Fogo.

PUB