Burundi: Rebeldes dizem ter atacado Aeroporto Internacional de Bujumbura

Diveras fontes dizem não ter havido nem vítimas nem danos e oficial militar acusa a Red-Tabara de fazer propaganda

DR

AFP

AFP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Um grupo rebelde reivindicou uma série de ataques com morteiros ontem à noite contra o Aeroporto Interncional de Bujumbura, a capital económica do Burundi, um dia antes de o Presidente Evariste Ndayishimiye viajar para Nova Iorque, onde vai participar na Assembleia Geral da ONU.

Os ataques, que não provocaram vítimas nem danos, foram ouvidos em lugares distantes do centro da cidade.

 

“Nós disparamos vários projéteis contra o Aeroporto Internacional de Bujumbura”, disseram os líderes da Red-Tabara noTwitter, acrescentando o registo de “uma troca de tiros de pelo menos uma hora com os militares numa das posições que protegem o aeroporto.”

 

Um funcionário do aeroporto, que se recusou a ser identificado, disse à AFP que ouviu “explosões de bombas e disparos de armas automáticas” durante a noite.

 

“Estávamos com muito medo, mas não durou muito”, disse ele, garantindo não ter havido danos e que um avião da Kenya Airways aterrisou na manhã deste domingo, 19, “sem nenhum problema.”

 

Outra fonte do aeroporto, que também não revelou seu nome, afirmou que “pelo menos três” projéteis de morteiro atingiram o aeroporto, mas causaram poucos danos.

 

A AFP escreve que um alto oficial do Exército, que também preferiu o anonimato, garantiu que nenhum dos projéteis atingiu o aeroporto.

“É uma manobra publicitária da RED-Tabara às vésperas da saída de Sua Excelência o Presidente para os Estados Unidos, para fazer o mundo inteiro falar deles”, concluiu.

 

A Presidência confirmou a viagem de Evariste Ndayishimiye hoje, sem mencionar o incidente.

PUB